Perfil do turista pós-pandemia passa a ser mais exigente e planejado na hora de escolher roteiro de viagem

Seis em cada dez agências de turismo esperam aumentar o faturamento até o fim do ano, revela pesquisa “Os Desafios das Agências de Turismo”, realizada pelo Sebrae em parceria com a Associação Brasileira de Agências de Viagem (Abav). Empresas de Turismo de Três de Maio consultadas pelo Semanal estão otimistas, pois os clientes estão mais seguros e com grande expectativa para voltar a viajar

Perfil do turista pós-pandemia passa a ser mais exigente e planejado na hora de escolher roteiro de viagem
Empresas consolidadas com vários anos de atividades como a Primu’s Tur e a VFT ficaram com suas frotas completamente paradas por cerca de um ano. Já a agência Ponteando o Mundo Tur, especializada em roteiros internacionais, ficou sem viagens poucos meses após abrir suas portas
Perfil do turista pós-pandemia passa a ser mais exigente e planejado na hora de escolher roteiro de viagem
Perfil do turista pós-pandemia passa a ser mais exigente e planejado na hora de escolher roteiro de viagem

O setor de turismo – um dos mais afetados pela crise sanitária mundial, com as fronteiras fechadas e a necessidade de distanciamento social, está otimista com a retomada das viagens. O avanço da vacinação, a diminuição no número de casos de Covid-19 no Brasil e no mundo, e a abertura gradual das  fronteiras trazem boas perspectivas para os próximos meses. 


O otimismo é confirmando pela Pesquisa “Os Desafios das Agências de Turismo”, realizada pelo Sebrae em parceria com a Associação Brasileira de Agências de Viagem (Abav), em que 60% dos empreendedores do setor vislumbram um aumento de faturamento até dezembro de 2021. A pesquisa revela ainda que 91% das empresas ligadas ao segmento declaram ter tido perda de faturamento desde o início da pandemia. 


Visando constatar a expectativa do setor para os próximos meses, o Semanal conversou com algumas empresas de turismo de Três de Maio que, após um ano e meio de pandemia, começam a sentir o aumento na procura por viagens.  


Empresas consolidadas com vários anos de atividades como a Primu’s Tur e a VFT ficaram com suas frotas completamente paradas por cerca de um ano. Já a agência Ponteando o Mundo Tur, especializada em roteiros internacionais, ficou sem viagens poucos meses após abrir suas portas.


Todas foram unânimes em afirmar que, aos poucos, o turista está voltando, buscando principalmente por viagens que há muito tempo planejava, porém, mais exigente com os cuidados adotados pelas empresas.

 

‘Viagem dos sonhos passa a ser prioridade’

Desde que viagens foram liberadas, os destinos mais procurados pelos clientes da Primu`s Tur são roteiros ao ar livre. No registro, o grupo conhecendo as belezas de Cambará do Sul

 

Com 16 anos de atuação em Três de Maio, a Primu’s Tur, fundada em 2005, trabalha com fretamento e turismo para diversos destinos regionais, estaduais, nacionais e internacionais. “Costumamos dizer que onde tem estrada, estamos aptos a levar nossos clientes”, ressalta o proprietário Marcos Lasch. “Temos experiência em viagens que ultrapassam fronteiras e onde se encontram famosos destinos, como Bariloche, Mendoza, Buenos Aires, Montevidéu... Também, destinos em estados mais distantes do nosso país, como Mato Grosso, Amazonas... Os roteiros para praias de Santa Catarina, turismo religioso e pescarias internacionais, que são especialidade da empresa, são os destinos mais procurados. 


Com a pandemia, a empresa chegou a ficar completamente parada entre abril de 2020 até junho deste ano. “Foi um período de muitas incertezas e medo. Por esse motivo, durante essa pausa, aproveitamos para qualificar nossa equipe com cursos de aperfeiçoamento para adequarmos nossa conduta a partir dessa nova configuração que a Covid está exigindo. Além disso, apostamos todas as nossas fichas na aquisição de um ônibus zero quilômetro com Sistema Biosafe de fábrica, o qual, através de infravermelhos no ar-condicionado e banheiro, elimina vírus e bactérias presentes no ambiente, inclusive a Covid-19. Tudo isso para dar mais segurança para os nossos clientes”, explica a gerente da empresa, Lara Lasch. 


Lara também ressalta que no momento, ainda há muitas restrições com relação às viagens, principalmente países vizinhos, como por exemplo a Argentina, que continua com a fronteira fechada, e no qual a empresa realiza as tradicionais pescarias. “A maior procura tem sido por fretamentos particulares para diversas cidades. No turismo, os destinos turísticos do nosso Estado estão com uma procura nunca antes vista. Nossos clientes que estão viajando agora, estão se sentindo seguros para viajar novamente, pois tanto durante a viagem, quanto nos atrativos turísticos, são muitos os cuidados para não haver proliferação da Covid e qualquer outra doença. Acreditamos que o modo do turismo acontecer melhorou muito”, destaca, salientando que os locais turísticos estão começando a exigir a carteira de vacinação em dia para que as pessoas possam ingressar.


Para os próximos meses, Lara diz que a expectativa é de retorno gradativo do trabalho, que já vem ocorrendo. “Observamos que muitas pessoas estão pensando em ‘não deixar para amanhã’ aquela viagem que sempre sonharam em fazer. Ou seja, estão deixando de adiar a viagem dos sonhos e programando para realizar logo que seja possível”, revela. 


A Primu’s Tur acredita que os clientes pós-pandemia serão cada vez mais responsáveis e com grandes expectativas. “Vemos que as pessoas que estão procurando viagens são muito alto astral e questionam sempre sobre os cuidados e sobre as nossas atitudes para prevenir contaminações”. Conforme Lara, isso deixa a equipe muito feliz. “Podemos garantir que, até hoje, nosso trabalho foi bem executado, não havendo casos (de Covid-19) em nossas viagens organizadas”, enfatiza a gerente.


A empresa tem uma frota de 15 veículos, e trabalha com transporte escolar, transporte urbano e turismo.

 

Primu’s adquiriu um ônibus com Sistema Biosafe de fábrica que, através de infravermelhos no ar-condicionado e banheiro, elimina os vírus e bactérias presentes no ambiente

 

 

‘Pós-pandemia deve ter clientes mais exigentes’

Proprietária da Ponteando o Mundo Tur, Eliege Rigon, em viagem ao Monte Sinai, no Egito

 

Depois de muito planejamento, e de muitas viagens ao redor do mundo como guia de turismo, a três-maiense Eliege Rigon idealizou um sonho de anos. Abriu a própria empresa de turismo: a Ponteando o Mundo Tur, que tem o propósito de oferecer roteiros nacionais e internacionais, sendo os principais destinos Egito, Israel, Turquia, incluindo países da Europa; América do Sul (Argentina, Peru, Bolívia...); e viagens nacionais, como Jalapão, no Tocantins, e o Nordeste.
Porém, em março de 2020 veio a pandemia do novo coronavírus e, consequentemente, o fechamento das fronteiras. Foram seis meses sem vender pacotes de viagens. “Aos poucos, com os esclarecimentos da ciência e o início da vacinação, as pessoas adquiriram mais confiança e voltaram a viajar, ainda que lentamente. Embora seja muito promissor o mercado do turismo, ele só voltará a crescer à medida que a pandemia for sendo controlada”, considera Eliege.


Com o retorno das viagens pós-pandemia, Eliege revela que a agência tem trabalhado com destinos nacionais e se prepara para o aumento de demanda por destinos internacionais assim que as fronteiras forem abertas para o turismo.
Com o retorno das viagens, ainda que com restrições pela pandemia, a empresária conta que os destinos mais procurados são os nacionais com hospedagem em resorts all inclusive. Ela ressalta que também já está trabalhando com alguns projetos internacionais.


Eliege diz estar confiante e com boas expectativas para os próximos meses, uma vez que o mundo está concentrado em abrir as fronteiras para o turismo. “Com a vacinação avançando mundialmente e o controle sanitário, já estamos trabalhamos em projetos internacionais a curto prazo. O certificado de vacinação digital em 3 idiomas lançado pelo Ministério da Saúde, pode ser um facilitador para a retomada do turismo internacional”, explica.


Sobre o perfil do cliente pós-pandemia, a empresária acredita que quando as fronteiras forem liberadas, haverá uma enorme demanda de turistas a nível mundial, e os clientes serão mais exigentes. “Todo o contingente de circulação contido em dois anos de pandemia, voltará a ter vazão e nós precisamos nos preparar com antecedência tanto para viagens nacionais quanto internacionais.”
Existirá necessidade de maiores cuidados sanitários e de higiene, por esse motivo “os clientes necessitam de um cuidado especial para comprar os pacotes. Em compensação, não se importará em investir mais para viajar com segurança”, conclui a proprietária.

 

 

PERFIL DOS PROPRIETÁRIOS DAS AGÊNCIAS NO BRASIL

• O segmento é composto por 41% de microempresas, 29% de MEI e 21% de pequenas empresas
• 60% das agências de turismo estão em atividade há mais de dez anos
• As mulheres são maioria e correspondem a 56% dos empreendedores
• 60% dos donos têm mais de 46 anos
• A escolaridade: 91% têm, no mínimo, o superior incompleto
• Os principais produtos turísticos comercializados pelas agências são hospedagens em hotéis e pousadas, pacotes com aéreo, bilhetes 
internacionais e seguro-viagem
• 55% das agências são emissivas


Pesquisa: Sebrae em parceria com a Associação Brasileira de Agências de Viagem (Abav)

 

 

‘Pessoas que não costumavam viajar estão optando pelo turismo’

Negócio de pai e filho: Vilmar Ferrari e o filho Sandro Ferrari 

 

Fundada em 1974, por Vilmar Ferrari, a VFT – Vilmar Ferrari Transporte – realiza viagens regionais, nacionais, internacionais, e para pescaria, atuando em todos os países do Mercosul. Com 47 anos de estrada, a VFT conta com uma frota de 33 veículos, dos quais três foram adquiridos durante a pandemia, visando a alta do turismo após a crise sanitária.


Durante a pandemia, a empresa ficou praticamente um ano sem viagens. De março de 2020 a março de 2021. “No final de 2020 houve uma quase retomada do turismo, mas voltou normalmente em março deste ano”, relata o administrador da empresa, Sandro Ferrari.


Após a liberação das viagens, ainda que com restrições, os destinos mais procurados pelos clientes têm sido pescaria, transporte para aeroporto de turistas com destino ao Nordeste do Brasil, além de viagens para a Serra gaúcha e para a capital.


De acordo com Ferrari, a expectativa para os próximos meses é de alta no mercado de turismo. “Já é possível perceber o aumento na procura por viagens por clientes de todas as idades. Pessoas que não tinham o perfil de viajar, estão buscando mais viagens de lazer aos finais de semana”. A empresa notou um aumento significativo de jovens que querem viajar. Os locais preferidos são praias, pontos turísticos do Estado, serra e Foz do Iguaçu. “A busca por turismo interno cresceu muito”, ressalta. Ferrari destaca, no entanto, que a busca por viagens ainda é um pouco restrita por pessoas da terceira idade. 


Além do turismo a VFT também trabalha com fretamento, transporte para faculdade, transporte escolar e prestação de serviço em geral.