Cetres opera com 25% capacidade total porque muito esgoto doméstico ainda é descartado de forma irregular

Em 30 meses de atividades, foram tratados mais de 10 milhões de litros de esgoto no Centro de Tratamento de Resíduos, e apesar desse volume significativo, não é suficiente para a operação adequada da empresa, informa o proprietário Marcelo Tomasi

Cetres opera com 25% capacidade total porque muito esgoto doméstico ainda é descartado de forma irregular

Prestes a desenvolver um projeto em parceria com a Corsan, num futuro próximo, o Cetres – Centro de Tratamento de Resíduos – mesmo sendo a primeira estação privada de tratamento de esgoto a estar apta para o credenciamento junto a autarquia estadual, em todo o Estado do Rio Grande do Sul, ainda está longe de operar com sua capacidade total.


Segundo o proprietário e engenheiro, Marcelo Tomasi, o Cetres contabilizou 10 milhões de litros de esgoto tratados em 30 meses. “Isso dá uma média de 333.000 litros por mês. A capacidade da empresa é de 1.200.000 litros por mês, ou 36.000.000 em 30 meses. Ou seja, operamos com apenas 25% da nossa capacidade”.


O Cetres foi inaugurado em junho de 2018, para cobrir uma necessidade urgente da cidade de Três de Maio que era uma alternativa ambientalmente correta para o tratamento do esgoto. “O método de tratamento utilizado é o sistema biológico com as etapas anaeróbias (sem a presença de ar) e aeróbias (com a injeção de ar). Passados 30 meses, o volume é significativo, mas não o suficiente para a operação adequada da empresa”, lamenta o proprietário. 


Por outro lado, o diretor do Centro revela uma realidade preocupante. “Vemos o esgoto ser lançado diretamente na rede pluvial, principalmente por muitos edifícios da cidade. Quando lançado in natura nos rios, o esgoto pode provocar muitas doenças como, por exemplo a  hepatite A, leptospirose, giardíase, diarreia, lombriga, cólera e febre tifoide, além de diversas doenças de pele, além disso, causa a mortalidade dos peixes. Isso é de conhecimento do Poder Público Municipal e do Ministério Público que, sabendo da situação, tomam medidas tímidas e sem efeito”, critica o empresário.


Outro problema ocasionado pelo descarte irregular do esgoto doméstico, conforme Tomasi, são os odores, tão comum em muitas ruas centrais da cidade. “Quando os esgotos domésticos ficam retidos por algum tempo, geram odores desagradáveis, por causa de gases como o sulfídrico e outros”, explica.


Conforme Tomasi, a unidade foi projetada para transformar o resíduo oriundo de fossas sépticas, em líquido tratado com valores rigorosamente dentro dos limites de descarte, definidos pela legislação vigente, ou seja, em nível estadual o Decreto Estadual 14675 e em nível nacional a resolução Conama 430

 

 

Como funciona


O processo de tratamento dos resíduos descarregados na Cetres segue as seguintes etapas:
1 – A coleta residencial é realizada por empresas parceiras
2 – Os resíduos são recebidos na Cetres
3 – Realiza-se o gradeamento
4 – A medição
5 – A equalização
6 – Passam ao decantador primário
7 – Após os resíduos vão para o tanque anaeróbio
8 – Para o tanque anóxico
9 – Para o tanque aeróbio (injeção de oxigênio)
10 – Então para o decantador secundário
11 – Após para o tanque de contato (desinfecção)
12 – Finalmente, realiza-se o descarte por tubulação fechada