Atividades esportivas continuam suspensas

Protocolo é seguido nos municípios da Amufron, com excessão de Santa Rosa

Atividades esportivas continuam suspensas
Reunião reunião prefeito, equipe da Secretaria da Saúde e presidentes de sociedades e de entidade de bairros e da ACI

Está mantida a suspensão de atividades esportivas em Três de Maio, conforme decisão tomada em reunião realizada na quarta-feira, 29, no gabinete do prefeito Altair Copatti, com a presença da secretária adjunta da Saúde, Glaci Gauger, coordenadora de Vigilância Epidemiológica de Três de Maio, enfermeira Tatiane Wächter, presidentes de sociedades e de entidade de bairros, e ACI.
A mesma posição também foi tomada em reunião por meio de videoconferência, na quarta, pelos prefeitos que integram a Associação dos Municípios da Fronteira Noroeste (Amufron), que decidiram manter a proibição das atividades esportivas e de recreação coletivas em ambientes fechados e ar livre. A medida vale por mais duas semanas nos 20 municípios da região e engloba todos os tipos de jogos que causam aglomeração, como futebol, futebol de salão, vôlei bocha, 48, carta, sinuca e de cartas em geral.
A excessão é Santa Rosa, que até o momento permite as atividades esportivas, seguindo as medidas do decreto municipal. Hoje, o prefeito Vicini deve editar novo decreto, proibindo novamente todas as atividades esportivas, a partir de segunda-feira. 

Fase crítica
A decisão, tanto em nível municipal, como regional, foi motivada pelo aumento dos casos. Segundo o prefeito Copatti, estamos passando por um momento muito difícil. “Infelizmente os números aumentam a cada dia e temos que redobrar os cuidados. Precisamos da ajuda da população”, reforçou Copatti.
Na reunião no gabinete do prefeito, alguns participantes expuseram a aglomeração em alguns bares, no centro poliesportivo, no parque de exposições e em outros locais, e questionaram que a fiscalização não está atuando. 
Copatti disse que a equipe de fiscalização é composta por apenas quatro pessoas e que não estão dando conta de atender a todas denúncias. “A população tem que fazer a sua parte e ter consciência do momento que estamos passando. Em Três de Maio, o hospital São Vicente de Paulo possui apenas seis leitos para internações clínicas; e em Santa Rosa, 20 para clínicas e 20 de UTI. Esse número é muito baixo”, informou.
Já a enfermeira Tatiane Wächter mostrou o gráfico evolutivo de casos de Covid-19 no município. Segundo os dados, em 5 de junho apareceu o primeiro caso e até quinta-feira, 30 de julho, o município registrava XX casos confirmados, sendo  que destes 17 estão recuperados e XXX em acompanhamento. “Estamos passando pela fase mais crítica no RS. Quanto às atividades esportivas, não temos somente futebol, podemos optar por caminhadas, andar de bicicleta, entre outros exercícios físicos, que não aglomeram pessoas”, destacou a enfermeira.
A decisão da proibição deve durar até a próxima quarta-feira, quando será convidado também o Ministério Público para que em comum acordo possam elaborar um protocolo, desde que o número de casos não aumente.
Nos 14 hospitais da região, a taxa de ocupação de leitos de UTI estava em 72.2% até quarta-feira. Na Unidade de Tratamento Dom Bosco, são 40 leitos disponíveis para pacientes de coronavírus, sendo 17 ocupados (até ontem).

Distanciamento Controlado
Com o objetivo de aperfeiçoar o modelo de Distanciamento Controlado, tornando o sistema mais adequado às realidades de cada região e ampliando o compartilhamento da gestão entre Estado e associações regionais e municípios, o governo do Estado e a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) estiveram reunidos por videoconferência na terça-feira, 21, onde ficou acordado que os presidentes das associações regionais dos municípios e o presidente da Famurs, bem como o Gabinete de Crise do governo do Estado, irão aprofundar o debate internamente. Uma nova reunião deve acontecer nos próximos dias entre Famurs e governo.