Doação de roupas e calçados com um destino certo

Ao fazer sua doação, você vai estar ajudando o próximo. Ao receber uma doação, a melhor atitude é agradecer e utilizar, fazendo bom uso. No entanto, há situações em que roupas e calçados estão sendo descartados, de forma irregular, em lixeiras, terrenos baldios e até em lavouras próximas da cidade

Doação de roupas e calçados com um destino certo
O bazar é aberto ao público, sendo que o valor por peça varia de R$ 1,00 a no máximo R$ 20,00. A cobrança é feita para conscientizar as pessoas de que nada é de graça para ninguém

Seja na estação que for – e durante todo o ano –, entidades, igrejas, Poder Público e empresas realizam ações no sentido de promover doações de roupas, calçados, cestas básicas, dentre outros, às pessoas em situação de vulnerabilidade social ou que estão passando por um momento de adversidade. 

Para alguns esses gestos de solidariedade representam gratidão, mais conforto e sensação de bem-estar, por ter um agasalho, roupa ou calçado doado.

Para outros, existe o descaso e a falta de consideração com o próximo. Mas, como assim? O descaso e o desrespeito pelo fato de se desfazer de roupas que não servem ou não são mais úteis, simplesmente colocando fora no lixo ou descartando em terrenos baldios na cidade e em lavouras pelo interior.

Não é raro encontrar roupas simplesmente jogadas no lixo. O registro mostra um descarte de grande quantidade de roupas nas proximidades do Ecoponto 2. As peças encontradas – roupas e calçados – estavam em bom estado e poderiam ser reutilizadas por outras pessoas, ainda mais nessa época, em pleno inverno

 

Nessa reportagem, o Jornal Semanal aborda essa pauta, que foi sugerida por leitores, já que   não é raro encontrar roupas descartadas irregularmente. 

Para saber como podem ser feitas doações e qual o destino delas, nossa reportagem entrou em contato com a Secretaria de Desenvolvimento Social, a Pastoral da Criança (da Paróquia Nossa Senhora da Conceição da Igreja Católica) e a Sociedade Espírita Chico Xavier buscando informações sobre como proceder para fazer doações. Já em contato com a Igreja Batista – que também realiza trabalho social por meio do Ministério de Ação Social –, preferiu não se manifestar.

 

Doações na Casa da Solidariedade

Conforme informações da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, é possível realizar doações de roupas e calçados na Casa da Solidariedade, localizada na antiga escola São Francisco, e na sede da secretaria todos os dias. As entregas desses itens são realizadas na Casa da Solidariedade às quartas-feiras.

As pessoas que recebem essas doações possuem cadastro no Centro de Referência em Assistência Social (Cras). Com base nesse cadastro, é realizado o controle da secretaria de número de peças que cada pessoa pode retirar por mês.

 

Pastoral da Criança tem parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social

A Pastoral da Criança da Paróquia Nossa Senhora da Conceição também recebe doações de roupas e calçados. 

Segundo Ivana Christ, uma das coordenadoras da Pastoral, explica que há uma parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social do Município, em que a pastoral recebe e encaminha essas doações para a secretaria, que realiza a distribuição das peças.

“As famílias são cadastradas na secretaria e a doação de roupas é realizada por lá. Nós da Pastoral da Criança apenas temos o controle da doação de roupas e fraldas para crianças até um ano de idade, que é o público-alvo atendido”, justifica.

Ivana acrescenta que essa parceria visa o melhor controle das doações, para que não ocorra de uma família receber mais peças de roupas e outra acabar recebendo poucas ou nenhuma peça.

Ela ainda destaca que a entidade também recebe alimentos para doações. “Quando a Pastoral da Criança recebe doações de alimentos, por exemplo, nós fazemos um banco de alimentos, no Centro Pastoral, e faz essa distribuição entrando em contato com a Secretaria de Desenvolvimento Social. Lá existe o cadastro das mães e também há um controle das doações”, explica.

 

Casa Espírita Chico Xavier realiza bazar com as doações que recebe

Já a Casa Espírita Chico Xavier de Três de Maio, segundo a coordenadora do brechó Rosangela Bohnen da Silva, recebe doações na própria Casa, localizada na Avenida Uruguai, 386, fundos, no centro da cidade, nas segundas à noite, quando a Casa realiza palestras, entre 19h30 e 20h15 e também nas quartas à tarde, quando funciona o bazar, da 13h30 até 15h30. Ou, se há necessidade de buscar as doações, basta entrar em contato com as voluntárias da Casa.

Conforme Rosangela, a cada doação é feita uma triagem para avaliar as condições de uso das peças ou artigos. “Conforme o estado, é colocado um valor, que varia, de R$ 1 até R$ 5. Roupas de inverno em muito bom estado, o valor pode chegar a R$ 20,00. O valor que a gente cobra é irrisório, até para conscientizar as pessoas, que nada é de graça para ninguém. Então as pessoas levam o que realmente interessa”, ressalta.

O valor arrecadado com o bazar ajuda na manutenção da Casa Espírita. “Então é de fundamental importância para nós, esse pequeno comércio, que ao mesmo tempo nos auxilia e auxilia muitas pessoas”, alega.

 

Bazar é aberto ao público

Paralelo ao trabalho do bazar, a Casa Espírita recebe informação de pessoas muito carentes, desabrigadas, que enfim, não têm condições de contribuir. “Então, fazemos um combo de algo que a pessoa mais precisa e entregamos a doação. Mas não a doação simplesmente, tentamos conhecer a realidade da pessoa e de certa forma acompanhar por um tempo indeterminado, conforme o necessário”, informa.

Rosangela diz ainda que o brechó está aberto ao público. “Qualquer pessoa, de qualquer nível social pode frequentar e comprar. Também pode doar, só que não remuneramos as doações. A pessoa vai doar e nós vamos dar um destino a essa doação”, explica.

Conforme Rosangela, o maior número de doações é de roupas femininas, moda mais casual. “E as pessoas doam, na grande maioria, peças em ótimo estado de uso. Mas as peças, no caso de inverno, são mais raras, mais difíceis de conseguir”.

A maior demanda é por roupas em tamanhos maiores e há carência de peças infanto-juvenil para meninos e para homens adultos.

Outra demanda é por utilidades domésticas, pratos, xícaras, panelas, copos, pano de prato, toalhas, lençóis, fronhas, vasos com flores, que são artigos sempre muito bem-vindos.

Já sobre enxoval de bebê, sempre que é solicitado, a Casa Espírita tem uma reserva e, nesse caso, é doação. “Para uma eventual necessidade temos sempre um arrumadinho, pronto para ser doado”, conclui a coordenadora do bazar.