Uma semana dedicada à literatura e à cultura

Com centenas de obras literárias e diversificada programação cultural, feira encerra amanhã à tarde

Uma semana dedicada  à literatura e à cultura

A iniciativa do Governo Municipal de Três de Maio, através da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (SMECE), com apoio da Câmara Municipal de Vereadores e empresas locais, está fomentando a leitura e a cultura em nosso município. A I Feira Literária e Cultural de Três de Maio, que está ocorrendo no Parque de Exposições Germano Dockhorn vai até amanhã, com uma extensa programação.

A abertura oficial do evento ocorreu no dia 8, com a presença de autoridades, convidados e alunos da rede municipal. A Banda Municipal Arduíno Raymundo Dalsenter abrilhantou o evento com a execução do Hino Municipal de Três de Maio. Apresentações de violino e de dança também marcaram a abertura, encantando os presentes.

O patrono da feira é o escritor Charles Kiefer. Já o escritor homenageado é Jorge da Luz, que fez o toque do sino, marcando a abertura do evento.

 

Abertura oficial foi feita pelo escritor homenageado Jorge da Luz, vice-prefeito Josias Correa; secretária de Educação Vera Kühler; coordenadora da Feira, Lidiane Geist; presidente da ACI, Jesildo Lima, secretários municipais e convidados

 

‘É apenas a primeira etapa’

Coordenadora da Feira, Lidiane Geist, agradeceu o Executivo, Legislativo e empresas que apoiaram o evento. “Acredito que esta é apenas a primeira etapa. Se temos a primeira é porque teremos a segunda, a terceira.... Com certeza será um evento tradicional no município. Sabemos da importância da leitura em nossas vidas, especialmente para as crianças. Trouxemos a literatura através da participação de 11 expositores e organizamos uma programação diversificada, para fomentar a cultura em nosso município”, destacou.

A secretária de Educação, Vera Kühler, reforçou que o evento é fundamental para impulsionar a cultura. “Como promotores e organizadores, queremos colocar os leitores em movimento pela feira e pelas páginas dos livros. Assim como as expressões artísticas que abrilhantarão a semana, traduzindo em um evento multicultural”, disse.

Obras literárias dos mais diversos gêneros estão à disposição do público, na maioria  formado por estudantes 

Vera salientou a importância do vale-livro. “Pela primeira vez, os estudantes das escolas municipais receberam um vale de R$ 30,00 para aquisição de livros na feira, totalizando um investimento do Município de R$ 39 mil. Assim cada estudante do 1° ao 9° sairá da feira com uma obra literária de sua livre escolha”, ponderou a secretária. 

O vice-prefeito, Josias Correa, parabenizou a equipe da SMECE. “O nosso principal objetivo é resgatar a importância do livro como objeto transformador da nação. A leitura precisa resistir como sua função agregadora e reveladora de novos tempos e novos mundos. É fundamental para o fomento da educação, da cidadania e da pluralidade de vozes. Assim, a feira significa a democratização do livro e da leitura”, declarou Correa.

 

A Banda Municipal Arduíno Raymundo Dalsenter tocou o hino municipal de Três de Maio na abertura do evento

 

Estudantes aproveitaram para trocar vales-livro

Alunos da Escola Municipal Germano Dockhorn, Felipe Augusto Pasternack e Alisson Henrique Feldmann, ambos com 14 anos, estiveram presentes no evento na terça-feira. Os estudantes circularam pelas bancas e aproveitaram para realizar a troca do seus vales-livro.

Felipe escolheu o livro ‘Do mil ao milhão’, de Thiago Nigro. “Eu achei a feira ótima. Nós ganhamos um vale de R$ 30. É bastante importante, pois tem estudantes que precisam. Gostei que tem exemplares diferentes nas bancas e dá para escolher entre vários gêneros também”, cita o estudante.

 

Alisson Feldmann e Felipe Pasternack estiveram no primeiro dia de feira e aproveitaram para trocar seus vales-livro 

 

O best-seller ‘O Diário de Anne Frank’, da autora alemã Anne Frank, foi a escolha de Alisson Henrique. “Gostei bastante das apresentações, teve muito conteúdo ao longo dessa abertura. Tem muitos alunos participando hoje. Dei uma olhada em alguns livros aqui na exposição das bancas e já aproveitei para pegar um para mim”, conta o estudante.

 

A escritora Léia Cassol esteve presente na quarta-feira e encantou com a contação de história

 

A Casa da Amizade está presente com a Biblioteca de Rua. No estande foi disponibilizada uma caixa para doações de livros para o projeto  

 

‘Não é a questão do autor ou o que ele escreve, mas a materialização de uma ideia’

Jorge da Luz, 55 anos, Jorge da Luz, 55 anos, agradeceu o convite para ser o escritor homenageado do evento. “Eu entendo que não é a minha pessoa que representa a feira, e sim a literatura. Eu sou a figura que vai vincular a um escritor, pois sou uma referência local. É uma questão de promover a literatura. Eu entendo que não é só a mim, é uma homenagem à escrita”, comentou da Luz.

O escritor justifica que participar da feira é uma forma de incentivo às crianças e adolescentes. “Serve como uma referência. Aqui estão sendo expostos autores de diversos lugares nas bancas. Para a criança não é a questão do autor ou o que ele escreve, mas a materialização de uma ideia. Eu achei muito importante e o formato da feira está muito legal”, acrescenta.

O escritor completou sua trilogia poética, com os livros Nuvens de Trelém, Sentidos e A fuga da Rosa. “Conclui este ciclo. Atualmente estou me dedicando a um romance, que está em fase de conclusão. A princípio, eu tinha a ideia de lançar este ano, mas acredito que ficará para 2024”, destaca.

Ele acredita que a obra será um salto em sua carreira. “É uma coisa que, de fato, está me realizando. Tem um grau de dificuldade maior e acho que conquista mais o público que gosta mesmo de leitura”, finaliza o escritor.

 

‘Eu entendo que não é só a mim, é uma homenagem à escrita’, diz o escritor homenageado Jorge da Luz