Estudantes do Dom Hermeto apresentam projetos em feira nacional

No primeiro ano em que participa de feiras externas que valorizam a iniciação científica, colégio teve dois trabalhos selecionados

Estudantes do Dom Hermeto apresentam projetos em feira nacional
Alunos apesentaram dois projeto na Femic - Fotos: Colégio Dom Hemeto
Estudantes do Dom Hermeto apresentam projetos em feira nacional

Entre 25 de outubro e 6 de novembro, alunos do Colégio Dom Hermeto participaram da 5ª Feira Mineira de Iniciação Científica – Femic –, um evento de ciência e tecnologia realizado anualmente pela Associação Mineira de Pesquisa e Iniciação Científica, na cidade de Mateus Leme, em Minas Gerais. A feira foi realizada no formato virtual.


O colégio teve dois trabalhos selecionados para participar da Femic, que é destinada à apresentação de trabalhos de ensino, pesquisa e extensão em diversas áreas do conhecimento humano, realizados por estudantes de todas as modalidades educacionais e por profissionais diversos.


Na categoria Femic Jovem, com a participação dos alunos do Ensino Fundamental, foi selecionada a pesquisa Produção de Xampu Natural e Sustentável, das alunas Eduarda Aparecida Cruz, Gabriela Redel de Oliveira e Vitória de Lima Müller, que tiveram como orientadora a professora Cláudia Rigoli Schneider e coorientadoras as professoras Emilene Andrea Eichelberger e Taíse Roberta Roberti.


Já na categoria Femic Jovem do Ensino Médio, a pesquisa selecionada foi Produção e Teste de Fertilizante Feito a Partir de Rejeitos da Construção Civil, dos alunos Alex Spohr, Guilherme Korb e Luís Felipe Copetti Sartor, tendo como orientadora também a professora Cláudia Rigoli Schneider.


De acordo com a  professora Cláudia, que orientou os dois projetos, os estudantes que participaram da Femic tiveram a possibilidade de conhecer trabalhos apresentados por jovens de todo o país, ampliando seus conhecimentos e identificando novas possibilidades de contribuir de alguma forma com a sociedade. “Foi uma experiência muito enriquecedora para todos os envolvidos, um momento de interação e partilha entre professores e estudantes”, considera. Ela conta que, como projeto da escola para 2022 na modalidade do Novo Ensino Médio, será ofertada uma oficina eletiva específica de Iniciação Científica.

 

‘Pesquisa científica é estimulada pela escola’, diz diretor

Conforme o diretor do Dom Hermeto, Gildor Scherer, a pesquisa científica sempre foi estimulada na escola através da Feira Intelectual de Produção Científica, Artística e Tecnológica (Fipcat), onde os estudantes formam grupos e escolhem um tema de pesquisa para aprimorar seus conhecimentos. Todas as etapas da pesquisa são trabalhadas em aula no componente curricular de Metodologia da Pesquisa. “Com o objetivo de aproximar ainda mais os alunos da pesquisa, esse ano a escola começou a participar de feiras externas que valorizam a iniciação científica, permitindo que os estudantes se tornem pesquisadores ainda na educação básica. Esse estímulo faz toda a diferença para quem pretende seguir carreira acadêmica em cursos de mestrado e doutorado nas melhores universidades do país ou fora do Brasil”, explica Scherer.


A direção do colégio acredita que a iniciação científica na educação básica possibilita a formação de jovens pesquisadores, desenvolvendo o protagonismo do estudante e ampliando a aprendizagem.

 

“Nos sentimos extremamente felizes por termos tido a oportunidade de participar da Femic 2021. A esperança no futuro da Ciência em nosso país foi renovada, e pudemos ver muitos jovens com mentes brilhantes e inovadoras. Foi gratificante ver os trabalhos de outros adolescentes sendo apresentados.”
Alunas Vitória de Lima Müller, Eduarda Aparecida Cruze e Gabriela Redel de Oliveira

 

“Participar de uma feira de âmbito nacional nos trouxe novas experiências, desenvolvemos uma nova visão a partir da observação de novas ideias apresentadas em meio aos trabalhos. Gostaríamos de agradecer ao Colégio Dom Hermeto que nos proporcionou tal oportunidade e nos instigou a desenvolver trabalhos e projetos cada vez melhores.”
Alunos Alex Spohr, Guilherme Korb e Luís Felipe Copetti Sartor