Continuidade do ensino remoto é opção da maioria dos alunos da rede estadual

Retorno às aulas presenciais não é obrigatório. Primeiros dias têm poucos estudantes em sala de aula

Continuidade do ensino remoto é opção  da maioria dos alunos da rede estadual
No Instituto Cardeal Pacelli cerca de 10% alunos retornaram às aulas presenciais do Ensino Médio

Assim como ocorreu com a rede privada em Três de Maio, o retorno dos estudantes das escolas da rede estadual ficou abaixo do esperado, depois de sete meses de suspensão devido à pandemia.


Pelo calendário do governo do Estado, para as escolas da rede pública estadual, as primeiras turmas a voltarem foram as dos Ensinos Médio e Técnico, na terça-feira, 20. Anos finais do Ensino Fundamental retornam a partir da próxima quarta-feira, 28, e anos iniciais, a partir de 12 de novembro.


Em Três de Maio, as escolas estaduais retornaram na quarta-feira, dia 21. As únicas que oferecem Ensino Médio são a Escola Estadual de Ensino Médio Castelo Branco e Instituto Estadual de Educação Cardeal Pacelli.


Na Castelo Branco, conforme a diretora Rejane Beatriz Petry informou ao Semanal que no primeiro dia voltaram apenas 21 alunos no turno da manhã. No total, são 120. E, no turno noturno, apenas sete, de um total de 71.


A diretora do Cardeal Pacelli, Mara Benedix, reforça que houve pouca adesão. "Dos 361 alunos do Ensino Médio, retornaram em torno de 10%", resumiu.


Ambas as escolas receberam os EPIs do Estado, especialmente o termômetro, que era o mais aguardado. Ainda faltam alguns materiais, mas as escolas estão adquirindo com os recursos da Autonomia Financeira. Segundo as diretoras, todos os cuidados necessários estão sendo tomados e o Plano de Contingência está sendo colocado em prática.
 

 

 

17ª CRE estima retorno de 30% dos estudantes em nível de região

 

Em nível de 17ª Coordenadoria Regional de Educação, são 22 municípios de abrangência e 60 escolas estaduais. Destes municípios, menos de dez confirmaram que deram início às aulas presenciais nesta semana, entre eles, Três de Maio. E, em outros municípios da região as aulas presenciais na rede estadual seguem suspensas por decisão das prefeituras.


A coordenadora da 17ª Coordenadoria de Educação de Santa Rosa, Beatriz Santina Cancian Milbradt availa que as escolas estão muito bem preparadas para que os pais possam mandar seus filhos. “A escola é um dos locais mais preparados com EPIs, como tapete sanitizante, termômetro, entre outros. Eu não vejo, por exemplo, quando vou ao mercado, a questão de medir a temperatura e os tapetes sanitizantes”, comparou. 


Ela destacou que o retorno não é obrigatório. O estudante vai continuar recebendo as aulas na plataforma digital, no modo remoto. As aulas ocorrem no sistema de revezamento de alunos e divisão da turma, sendo permitida a ocupação de 50% da sala de aula. 


Outro ponto importante, lembrou Beatriz, é que  neste momento está se dando uma atenção especial aos alunos que enfrentaram dificuldades no acesso às aulas remotas devido à problemas com a internet.


A expectativa da coordenadoria é que com o passar do tempo mais alunos voltem à frequentar as aulas presenciais. 

 

 

Aulas na rede estadual podem ser suspensas por liminar na Justiça

 

Tribunal de Justiça do RS deferiu em parte o pedido do Cpers. Na outra ponta, governo gaúcho anunciou ontem a antecipação das aulas presenciais dos anos iniciais do Ensino Fundamental para quarta-feira, dia 28

 

O Tribunal de Justiça do Estado deferiu em parte o pedido liminar em decisão que pode levar à suspensão das aulas presenciais em toda a rede estadual, em resposta à ação civil pública impetrada pelo Cpers na última segunda-feira, 19. A Justiça determinou que o Estado apenas autorize o retorno ao ensino presencial onde houver declaração de conformidade sanitária por agente técnico da área, além da disponibilização de todos os EPIs. O parecer também determina que as escolas precisam ter o Plano de Contingência para Prevenção Monitoramento e Controle do Coronavírus, elaborado pelo COE-E e aprovado na região ou município.


O Cpers ingressou com a ação na segunda na tentativa de impedir a abertura de qualquer escola no dia seguinte. Mas, na ocasião, o juiz deu prazo de 24h para o Estado responder. Ontem, estiveram reunidos representantes das Secretarias Estadual de Saúde e de Educação e a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) que podem recorrer da decisão.


Também na tarde de ontem, foi anunciado que o Estado antecipará o retorno das aulas presenciais dos anos iniciais do Ensino Fundamental de 12 de novembro para quarta-feira, 28 de outubro. Nesta data também retornam os os anos finais do Ensino Fundamental.