Com a falta de insumos para alguns produtos a dica é antecipar as compras de fim de ano

Fornecimento de bebidas pode ficar comprometido para as confraternizações. Contudo, empresários do setor garantem que não vai haver desabastecimento total de mercadorias

Com a falta de insumos para  alguns produtos a dica é antecipar  as compras de fim de ano
Na falta da bebida preferida, opção para o consumidor e buscar uma similar

Um dos produtos mais consumidos pelos brasileiros, principalmente nesta época do ano, pode ficar em falta durante os encontros de fim de ano. Donos de distribuidoras e empresários do setor de supermercados vêm relatando dificuldades para comprar   cervejas para oferecer ao aconsumidor e temem que nas festas de Natal e Ano Novo não consigam suprir a demanda.


E essa situação não ocorre somente nos grandes centros. Em Três de Maio os consumidores já estão tendo dificuldades de encontrar algumas marcas de cervejas nos supermercados. Seja em garrafa, em lata, long neck. Sem contar que a maioria das marcas teve seus preços reajustados. 


No país, a falta de cerveja nas prateleiras dos supermercados atingiu nível recorde em outubro, segundo estudo realizado pela Neogrid – empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).


A falta do produto chegou a 18,92% em outubro. Para base de comparação, a média em 2019 era de 10%. 


A justificativa para falta está na cadeia produtiva, que enfrenta problemas no fornecimento de vidro e lata para a confecção das embalagens.

 

 

Antecipar as compras para fim de ano

 

Nos três maiores supermercados de Três de Maio consultados pelo Semanal, os empresários do setor revelam que existe falta de alguns produtos, porém, não deve ocorrer um desabastecimento total de algumas marcas, e afirmam o consumidor não deve ficar sem cerveja e espumante para as festas de fim de ano. 


O empresário do ramo, Tiago Benedetti relata que no atual momento está difícil comprar cerveja. “Os fornecedores não estão fazendo ofertas, então, os mercados não conseguem comprar com preços reduzidos para ofertar os produtos. E isso acontece pontualmente com algumas marcas. Hoje não consigo comprar tal marca, mas existem outras opções”. 


No quesito cerveja, faltam algumas da linha Ambev (as mais consumidas), dentre elas, Budweiser®, Stella Artois®, Skol®, Brahma®, Antarctica®, Quilmes®, entre outras, de marcas diferentes.


Ele destaca ainda que a falta de matéria-prima, como ferro e alumínio (para embalagens), atinge outros produtos também. E citou, por exemplo, o alumínio – da lata de cerveja, do refrigerante –, também está presente no lacre do iogurte e no revestimento da caixa de leite. Portanto, são vários outros subprodutos que são a base do alumínio e estão faltando. 


Outro produto que sofre com a atual conjuntura é o leite, pois sua produção foi afetada no Estado pela estiagem prolongada. Determinadas marcas de lácteos estão com dificuldade de entrega, no momento não há uma constância de forneciment, e em consequência, os preços sobem.


 Conforme Benedetti, como as commodities -  como o milho e a soja , (que é a base das rações animais), tiveram alta considerável nas ultimas semanas,  automaticamente isto reflete no preço da carne de gado, de porco, o frango. "Sem contar a variação do dólar, que diretamente influencia nos insumos e a estiagem que atingiu a região, que agravou a elevação do preço de algumas mercadorias", observa.


Já Tiago Kochhann, gerente de outro mercado da cidade,  garante ao consumidor que está preparado para abastecer a ceia de Natal, com estoque de aves natalinas. A dica do empresário do setor é que o cliente organize suas compras, e se puder, ir antecipando, pois talvez falte alguns itens de alimentação das tradicionais ceias de Natal de fim de ano.


Já o gerente xxxxx revela que a falta de insumos também afeta os produtos de limpeza e higiene. Já no setor de bebidas, além de algumas marcas de cerveja, algumas marcas de refrigerante estão mais escassas.  A dica é antecipar as compras, para não ficar sem próduto. 


Charles Hettwer, empresário do setor de indústria de chope e cerveja artesanal, com fábrica em Três de Maio, informa que tem programação anual de compra de insumos, sendo que a sua produção está normal para atender a demanda e garante que não haverá falta de nenhum produto  no período.