A participação (ou não) dos jovens na política

Com a proximidade das eleições, o jornal Semanal perguntou para alguns jovens o que eles pensam sobre a política e como se veem dentro do processo eleitoral

A participação (ou não) dos jovens na política

Por Giovana Rodrigues Herpich

 

Ouve-se diariamente, que o Brasil precisa de mudança, que o brasileiro precisa mudar seus costumes e métodos. Contudo, a mudança é lenta e quase imperceptível. Tudo pelo que a sociedade luta hoje, só trará resultados daqui a algum tempo, por isso, é inevitável pensar: os jovens são o futuro. Sendo assim, é preciso prestar mais atenção no papel que os jovens desempenham na sociedade, e assim, entender sua importância e não deixar que se afastem do processo político.


Muitos não veem a política como uma prioridade e tampouco buscam acompanhá-la no seu dia a dia. Cientistas políticos dizem que os jovens precisam ser motivados e provocados a buscar o senso crítico, para assim, tomar suas próprias decisões em busca de construir um futuro melhor.

 

O Jornal Semanal conversou com jovens entre 16 e 24 anos sobre como se sentem em relação à política e como participam dela, além do que os motiva a acompanhá-la, ou não. Foi perguntado ainda se estão motivamos a votar e se acham os assuntos políticos chatos ou entediantes.

 

A visão de cada um sobre a importância do voto também foi questionada e, embora não seja unanimidade, os jovens entendem a importância da participação no processo eleitoral. Acompanhe nesta edição, os depoimentos de quatro jovens de Três de Maio sobre o assunto. Na próxima edição traremos mais opiniões sobre o tema.
 

 

'O voto é o modo mais eficiente para mudar
nossa sociedade'


Lucas Adriano Sawczuk Dembogurski, 18 anos, estudante do 3º do Ensino Médio, não teve uma grande motivação para fazer o título de eleitor. Mas acredita na importância do voto para mudar a sociedade. “É algo obrigatório, mas isso não muda o fato de achar o voto algo importantíssimo, afinal é o modo mais eficiente para mudarmos nossa sociedade. Isso demonstra que somos livres para fazermos nossas próprias escolhas e mudanças”.


Ele diz que acompanha regularmente as notícias políticas.  "Muito me interessa o meu futuro e daqueles ao meu redor, e nossas políticas são o que determinam o quão próspero ele pode ser ou não."


Sobre a participação de jovens na política ele acha que é de extrema importância. "Renovação política feita pelos jovens é essencial. Geração por geração vemos avanços sociais no que diz respeito à diversidade, direitos iguais, preservação ambiental e tantas outras coisas. A participação de jovens é justamente o modo como levamos essas novas ideias às nossas políticas públicas", opina Lucas.


Para ele, os jovens, quando estimulados, possuem um excelente senso crítico, e cita como exemplo Greta Thunberg, que com apenas 17 anos, que segundo ele, tem mais senso do que muitos à frente de nosso país.


Quanto a política ser algo “chato” ou “entediante, Lucas diz que de maneira alguma pensa assim. "Acho a política algo muito interessante e necessária. Eu não me sinto muito motivado, mas me sinto muito apreensivo, afinal o voto de todos faz diferença e votar “certo ou errado” terá um peso enorme no futuro.
Infelizmente, não vejo verdadeira renovação política em Três de Maio e nem candidatos que realmente me representam, e isso me desmotiva”.

 

 

'Um voto a mais pode mudar tudo'


Charline Mazurkevicz, de 16 anos, estudante do 2ª ano do Ensino Médio, fez o título de eleitor para poder votar já nestas eleições. “Não, me senti pressionado pois fiz por conta própria. Bom é poder acreditar que a pessoa em que vamos votar vai fazer a diferença que está faltando no município, pois acredito que um voto a mais pode mudar tudo, tanto para melhor como para pior”.


Ela revela que tem o hábito de acompanhar as notícias relacionadas à política, porque acha importante estar a par do que está acontecendo, mas também acha importante saber balancear o que é dito, e procurar saber mais sobre tal notícia para saber se é verdade ou mentira.


Quanto a participação de jovens na política, para ela é importante e relevante. "Devemos votar, pois depois não adianta reclamar do candidato que está legislando, se você não foi capaz de deixar a sua opinião, apenas colocando o número de seu candidato".


Para ela, a política deve ser conversada sem distinção de partido, pois quem não tem interesse no assunto, pelo menos consegue abrir a mente sobre esse assunto.


Ela também diz que está motivada para votar e acredita que cada voto faz diferença.

 

 

“A eleição é uma parte importante no processo democrático”


Aos 17 anos, Aline Bourscheidt, aluna do 2º ano do Ensino Médio, ainda não fez o título de eleitor, apesar de se achar preparada para votar. “Acredito que é importante participar do processo eleitoral, já que a eleição é uma parte importante no processo democrático e cada voto faz diferença, é uma escolha, um projeto importante. Além do mais, pode fazer toda a diferença entre ganhar ou perder uma eleição", opina.


Apesar de não ter feito o título, Aline diz que acompanha as notícias relacionadas à política, principalmente pelas redes sociais, já que a internet é uma peça auxiliar no processo de informação.

 

Quanto a participação de jovens na política, ela acha importante e relevante. "A adesão dos jovens está relacionada ao desejo de transformação social e à expectativa de um mundo melhor". 

 

Para ela, a grande maioria dos jovens tem senso crítico para votar. "Os jovens têm uma opinião mais informada, vão sendo mais interventivos, mas há jovens que ainda são influenciáveis pelos adultos". 

 

Ela também acredita que a política não é chata ou entediante, apenas difícil. "As pessoas que estão no poder não querem que a gente goste de política, pois assim não ficamos sabendo das coisas erradas que eles fazem e assim continuam no poder', opina.
 

 

 

“Tenho a convicção de estar preparado para votar, meu voto vai fazer diferença”


Com 17 anos, Ericson Alexandre Carvalho, estudante do 3º ano do Ensino Médio, fez o título eleitoral antes da idade obrigatória, por entender a importância do voto. “Ele representa a tomada de decisão de um povo ao escolher seus representantes, suas opiniões e ideais."


Alexandre revela que acompanha as notícias relacionadas à política, visto que este hábito complementa a decisão de um cidadão, que busca a pessoa apropriada que a represente no meio eleitoral.

 

Quanto a participação, sobretudo de jovens na política, Ericson entende que é algo relevante, pois demonstra o interesse de uma nova geração e seus intuitos, buscando zelar por seus princípios nesse meio.

 

Para ele, os jovens apresentam um senso crítico baseado em suas vivências e nos valores que lhes são ensinados e, posteriormente, em que eles próprios buscam por defender. "Assim, acredito que a maioria dos jovens se encontram aptos a exercer o voto".

 

Na opinião de Ericson, a política pode ser algo entediante, contudo, quando se busca abordar temas atuais, havendo a preocupação com a inovação e o futuro, a mesma, molda-se de forma eficaz e atrativa.  "Tenho a convicção de estar preparado para votar, pois sinto que meu voto faz a diferença. Desta forma, busco me inteirar das notícias e das propostas dos candidatos, fazendo jus ao voto.