Número de eleitores três-maienses cresce 5,9% em quatro anos

Conforme os números de TSE, todos os municípios da Comarca de Três de Maio tiveram aumento no número de eleitores

Número de eleitores três-maienses cresce  5,9% em quatro anos
São 17.936 eleitores aptos a votar no município

Três de Maio tem 17.936 eleitores aptos para votar nas eleições de outubro de 2022. Conforme o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o eleitorado três-maiense registrou um acréscimo de 5,9% em relação às eleições de 2018.

Na microrregião, são 37.020 eleitores que poderão comparecer às urnas, um crescimento de 4,7%, o que representa 1.646 eleitores a mais. O município que registrou o menor crescimento foi Independência, com acréscimo de apenas 51 eleitores, ou seja, 0,9%.

Para o Chefe do Cartório Eleitoral de Três de Maio, Luiz Carlos Toebe, o aumento passa por diversos fatores, mas o principal se deve à reabilitação de títulos de eleitor que haviam sido cancelados durante a revisão biométrica. “Muito eleitores não deram importância ao fato de terem tido seus títulos cancelados e agora, com a evolução das campanhas eleitorais e propagação das fake news, houve a vontade de votar novamente”, explica Toebe.

O chefe do Cartório também ressalta que a biometria voltará a ser utilizada nas eleições de 2022. Os eleitores que não têm os dados biométricos, mas que estão com a situação regular poderão exercer o direito ao voto. “Também há um convênio com outras instituições. Assim, alguns eleitores que coletaram os dados biométricos no período de pandemia poderão ter os dados portados de outro órgão, como, por exemplo, o convênio com o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito)”, explica.
 

Confira o perfil dos eleitores nos municípios da região:

Brasil terá número recorde de eleitores

Conforme o TSE, 156.463.117 eleitores podem exercer o direito ao voto. O número representa aumento de 6,2% sobre a eleição de 2018. Já o Rio Grande do Sul registrou crescimento inferior ao brasileiro. O eleitorado gaúcho passou de 8.354.732 em 2018 para 8.593.469 em 2022, aumento de 2,9%.

As eleições de 2022 irão eleger deputados estaduais e federais, senadores, governadores e presidente da República. O primeiro turno está marcado para o dia 2 de outubro e um eventual segundo turno para governador e presidente, para o dia 30 de outubro.
 

13,4% dos eleitores têm direito ao voto facultativo

Um em cada sete eleitores brasileiros não tem a obrigação de votar nessas eleições. São 20,9 milhões de eleitores, ou 13,4%. É o maior percentual desde as eleições de 2002, quando eram 13,5% do eleitorado com voto facultativo.

Em 2018, foram 17,8 milhões de eleitores nesse grupo. Em quatro anos, são 3,1 milhões de eleitores, um crescimento de 17,4%. O acréscimo ocorre em uma tendência de queda dos últimos pleitos. Desde 2002, a proporção de eleitores com voto facultativo diminuiu até o menor número em 2018, com 12,1% de todo o eleitorado. No Estado, a proporção é inferior à do país. 12,8% dos eleitores gaúchos podem faltar às eleições sem necessitar justificar o seu voto, sendo ao todo 1.100.404.

Entre as hipóteses para o aumento desse grupo de eleitores estão o envelhecimento da população e o maior interesse dos jovens em emitir o título de eleitor.

No Brasil, o voto é opcional para pessoas com 16 e 17 anos, acima de 70 anos de idade e para os analfabetos. 

Sara Stasiaki, 16 anos, emitiu o título de eleitor em abril para exercer o direito ao voto nas eleições de 2022. Mesmo não tendo a obrigatoriedade de votar, a adolescente quer fazer uso do direito por se importar com o país. “Acho que é muito importante o jovem votar, afinal somos o futuro do país. Se cuidarmos a política no presente, o nosso futuro será melhor”, conta.

Mesmo não tendo a obrigatoriedade de votar, Sara Stasiaki, 16 anos, quer exercer esse direito por se importar com o futuro do Brasil

 

Nicolas Chagas Stechmann da Silva, com 16 anos, também irá votar nessas eleições. Fez o seu título de eleitor em 1° de abril para poder exercer seu direito. “Pretendo votar porque posso ajudar a construir o futuro do Brasil escolhendo um presidente”, destaca. Ele também considera importante os jovens participarem do processo eleitoral. “Nós somos o futuro do Brasil e desde cedo já devemos fazer escolhas para que tenhamos uma boa qualidade de vida no país em que vivemos. Só que também esses jovens que irão votar devem se informar sobre o presidente que escolherão para poder fazer um voto correto”, diz.

A presença da eleitora aposentada Elfrida Elvira Frohlich de Lima, 75 anos, também está garantida nessas eleições. “Eu acredito que o voto é um dever. Sempre gostei de ir votar, de participar do processo eleitoral e assim eu pretendo ir votar em todas as eleições. Como eu moro perto de minha seção eleitoral, também facilita a minha participação”, ressalta.