Estudante da Setrem conquista medalha de ouro em competição nacional

Martina Ribeiro obteve o 1º lugar na categoria Livre Paradesportivo – por ter baixa visão – em campeonato Brasileiro e Torneio Nacional de Patinação Artística, realizado em São Paulo

Estudante da Setrem conquista medalha  de ouro em competição nacional
Martina, 15 anos, estudante do 9º ano da Setrem é patinadora do Trans Nação - Fotos Rochele Ciuti/DivuLgação

“Essa medalha vem de joelhos ralados, milhares de tentativas, treinos e lágrimas de alegria por ter conseguido chegar tão longe.”

As palavras emocionadas são da jovem Martina Ribeiro, 15 anos, estudante do 9º ano da Setrem, que conquistou o primeiro lugar Livre Paradesportivo, no Campeonato Brasileiro e Torneio Nacional de Patinação Artística, promovido pela Confederação Brasileira de Hóquei e Patinação, realizado entre os dias 6 e 15 de agosto, em Santos, São Paulo.


O evento reuniu os melhores patinadores do país no Clube Internacional de Regatas, contando com a participação de mais de 300 atletas e 44 clubes. 
Martina, que mora com os pais Marilise e Marco Antônio Ribeiro em Santa Rosa, faz parte da equipe Trans Nação, que atua na cidade há mais de 25 anos e é a única escola da região Noroeste a estar filiada à Federação Gaúcha de Patinagem (FGP) e Confederação Brasileira de Hóquei e Patinação (CBHP).


A equipe Trans Nação, coordenada pelas professoras Vanessa e Michele Flores, se fez presente ao evento com a participação de seis atletas nas modalidades Free Dance, Livre e Quarteto. As patinadoras obtiveram excelentes resultados em nível nacional: Anabel Kettner de Carvalho, 4º lugar /Free Dance; Carolina Cunegatto Rebellato, 1º lugar /Quarteto e 8º lugar / Free Dance; Gabriela Sucolotti, 1º lugar /Quarteto e 2º lugar /Free Dance; Lívia Thaís Maders, 1º lugar /Quarteto e 15º lugar /Free Dance; Martina Ribeiro - 1º lugar/Livre Paradesportivo e Rebeca Lukrafka Kowalczuk; 1º lugar/ Quarteto e 10º lugar /Free Dance.


Em Três de Maio, a equipe Trans Nação atua há quatro anos com aulas no ginásio da Setrem, aos sábados pela manhã atendendo ao público infantil, adolescente e adulto.

 

Equipe Trans Nação de Santa Rosa conquistou cinco medalhas de ouro em diversas modalidades

 

‘Vivo o momento com leveza e sorriso no rosto’

Em entrevista ao Semanal, Martina revela sua paixão pelo esporte. “O esporte para mim não é apenas uma forma de melhorar a saúde e condicionamento físico, ele é, também, uma válvula de escape. A patinação libera a minha mente e me leva para um lugar calmo e sereno. Sinceramente, eu esqueço de todos os meus afazeres e preocupações, eu apenas patino e vivo o momento com leveza e sorriso no rosto”, destaca. 


A jovem iniciou na patinação artística em 2012, na academia Fly, em Canoas, quando a família residia naquela cidade. Nove anos se passaram e hoje ela mora em Santa Rosa e faz parte da Academia Trans Nação. Suas aulas são com as professoras Micheli e Vanessa Flores, que atendem a várias cidades da região, inclusive em Três de Maio desde 2017, na Setrem.

 

Atleta paradesportiva

Quando começou a competir, em 2018, Martina não competia na categoria paradesportiva, mesmo com baixa visão. A mudança de categoria foi uma sugestão da técnica Vanessa Flores, que percebia o quão difícil era para Martina fazer um reconhecimento de pista com outras atletas antes de sua entrada em pista ao competir. “A partir da mudança comecei a sentir o quão importante é a palavra ‘representatividade’ e o quão emocionadas as pessoas ficam ao assistir quando descobrem que sou uma paratleta e sempre perguntam como faço para patinar e aprender o que preciso.”
Para ela, o melhor de tudo é perceber que está representando, não apenas a si mesma, mas diversas outras pessoas com deficiências que assim como ela, poderiam estar ali sentindo o que ela sente. 


Treinamentos e cuidados 

Martina tem treinos semanais. Segunda-feira, na modalidade Free Dance; na terça, na Livre e, no sábado, além de auxiliar a professora Michele Flores com as turmas de patinadores da Setrem, ela tem um intensivo de tudo. Sobre a alimentação, ela revela que procura beber bastante água e comer de forma saudável; além de realizar alongamentos e dormir bem.


Medalha de ouro

A paratleta já participou de várias competições importantes. Mas, competir no campeonato brasileiro foi algo especial. “Significa meu sangue, meu suor e minhas lágrimas. Representa também, o amor da minha família, apoio e torcida de amigos, da minha escola, mas acima de tudo muita força de vontade”.  


Sobre o conselho para quem quer experimentar a patinação, ou qualquer outra modalidade esportiva, a adolescente faz o convite. “Meu conselho é experimentem! Vocês irão amar. Patinação é o segundo esporte mais completo, depois da natação, não só bonito, mas também é uma prática que faz bem à mente, a autoestima e te enche de alegria. Nunca é cedo ou tarde para cuidar da saúde e se divertir ao mesmo tempo”, finaliza Martina.