Coluna da Yara Lampert

Coluna da Yara Lampert

" Que tamanho tem o universo? O universo tem o tamanho do seu mundo. Que tamanho tem o meu mundo? Tem o tamanho dos seus sonhos."

Augusto Cury

 

Especial Mulheres 


A força de uma mulher não se mede pela sua capacidade de levantar peso ou abrir um pote qualquer. A força de uma mulher se mede pela sua capacidade de reflorescer a cada crise, de vencer a cada dia e de renascer sempre que for preciso. Por tantas mulheres lindas, fortes, guerreiras e que protagonizam belas trajetórias, vamos para a terceira edição especial Mulheres. E dessa forma, em todas as edições do mês de março, a nossa coluna será dedicadas à elas. Afinal, temos um canal aberto com nossos leitores, que adoraram as páginas e sugeriram a continuidade do tema.

 

"Sou casada com Vinicius Urnau, mãe de Matheus, 9 anos, e Pietro, 3 anos. Natural de São Martinho, morei 7 anos em Ijuí, onde fiz a graduação em Ciências Contábeis e especialização em Controladoria e Gestão Empresarial, pela Unijuí. 
Em 2008 vim morar para Três de Maio. Em 2010 assumi a minha vaga através de concurso da Caixa Econômica Federal, na agência Santa Rosa e, cinco anos depois, comecei a atuar na agência de  Três de Maio, como gerente de empresas. Sempre gostei de trabalhar com empresas, nesse sentido busquei minha graduação, e trabalhei em escritório de contabilidade e recursos humanos antes da Caixa.
Posso dizer que fazer o que você gosta te faz se sentir realizada; te dá aquele ânimo de começar todo dia e viver de bem com a vida. E ter objetivos na vida te dá a essência do existir.
Sempre vejo o 'copo meio cheio', o lado bom das coisas e das pessoas, as soluções, em vez dos problemas ou dos culpados. Com pensamento positivo já conquistei muita coisa. A força do pensamento atrai mesmo. Não consigo ficar sem desafios, sem novos projetos, sonhos e tarefas. 
Para as mulheres, em especial, digo que tenham em mente que a sua capacidade de realizar está dentro de você. E como é bom ver tantas mulheres que nos inspiram pela  atuação delas nas mais diversas áreas."

Angela Carla Kiesel, 36 anos

 

 

"Sou natural da cidade de São Martinho e moro há 43 anos em Três de Maio. Possuo formação em auxiliar de Administração e também como Técnica de Enfermagem.
Minha trajetória profissional começou em novembro de 1978: atendente hospitalar junto ao Hospital São Vicente de Paulo, de Três de Maio, onde tive a oportunidade de realizar o curso de atendente de enfermagem. A partir daí, passei a trabalhar como atendente de enfermagem, exercendo esta função até o final de 1983. Mas minha caminhada dentro do hospital continuou e, durante esse período, foi despertando o amor pela profissão. Realizei o curso Técnico de Enfermagem e no ano de 1984 passei a trabalhar como Técnica de Enfermagem junto ao HSVP, onde me aposentei em 2004. 
O amor pela profissão e o desejo de cuidar da saúde das pessoas sempre foram os pilares que me fizeram amar cada dia mais o meu trabalho, e esses também foram os motivos pelos quais, no ano de 1991, assumi o concurso de Técnica de Enfermagem deste município. Por um período – 2001 a 2004 – trabalhei em jornada dupla, pois ainda trabalhava no hospital na parte da noite e durante o dia junto aos serviços de saúde do município. Tudo passou muito rápido. Hoje já estou próxima de me aposentar como funcionária pública, mas com o mesmo sentimento de amor pela profissão que escolhi exercer. 
Nunca foi fácil. Por muitas vezes precisei abrir mão de momentos com a família para trabalhar, mas o reconhecimento das pessoas pelo trabalho prestado, com certeza, é uma das melhores recompensas que recebo em minha profissão. É muito gratificante encontrar pessoas adultas que eu vi nascer, ver pessoas doentes e feridas que pude ajudar... isso não tem preço.
Hoje, com 60 anos, ainda servidora pública, atuo junto à Unidade Sentinela de nosso município, na linha de frente no combate à Covid-19. Apesar da minha idade e de estar próxima de me aposentar, o meu amor pela profissão me faz acordar todos os dias e ir até meu trabalho para ajudar no combate deste vírus que tomou conta do nosso mundo e vem causando muitas perdas. Sempre, desde que iniciei minha jornada na área da saúde, lutei pela saúde das pessoas, e é por este motivo que eu peço para que todos se cuidem e mantenham os devidos cuidados. Todos estamos batalhando diariamente no combate ao vírus, mas o papel de cada um é fundamental para superarmos juntos esta pandemia.
Que nós mulheres, sejamos sempre fortes, verdadeiras e independentes, que tenhamos sempre amor por nós mesmas e que continuemos em nossa luta por nossos direitos. Que nós mães, tenhamos sempre como prioridade os nossos filhos e, assim, sejamos exemplos para eles, educando-os para um mundo onde a mulher e o homem tenham os mesmos direitos, em um mundo livre de preconceitos. 
A Irma Erbes (em memória) muito me inspirou e minha querida mãe foi meu maior exemplo. Mulher guerreira que sempre me ensinou a ser forte e ir atrás dos meus sonhos. Ter fé sempre foi seu maior ensinamento. Acreditar no poder da oração é um princípio que carrego comigo sempre."

Bernadete Erbes, 60 anos, solteira, mãe de Waldir José E. Woiciechoski

 

Confira todos os depoimentos no Caderno S

Clique aqui