Início das aulas da rede municipal está previsto para 1º de março

Previsão é de que as aulas aconteçam de forma híbrida, alternando alunos em sala de aula e em casa

Início das aulas da rede municipal está previsto para 1º de março
Secretária de Educação, Cultura e Esporte de Três de Maio, Vera Lúcia Oliveira Kuhler

O ano letivo está previsto para iniciar em 1º de março nas escolas municipais de Três de Maio. De acordo com a secretária de Educação, Cultura e Esporte, Vera Lúcia Oliveira Kuhler, estão sendo realizadas diversas reuniões de planejamento para o retorno das aulas e implementação das diretrizes educacionais para a rede municipal, que tem a aprendizagem inovadora como norteadora dos processos de currículo e de gestão.


A secretária conta que esta semana foi realizada uma reunião com o Comitê de Operações Emergenciais (COE), tendo a volta às aulas como pauta de discussão. O COE, assim como a Secretaria de Educação, ressalta a importância de ser um retorno seguro e em acordo com as condições sanitárias e os protocolos vigentes. “Para a próxima semana, será agendada uma reunião com o Conselho Municipal de Educação, para explanar o planejamento da Secretaria para volta às aulas, bem como ouvir a sua manifestação”, enfatiza.
Formato híbrido


Considerando que o cenário pandêmico ainda é incerto, a Secretaria de Educação trabalha com mais de uma possibilidade de retorno. No primeiro plano está a forma híbrida com revezamento de 50% dos alunos, e no segundo a presença dos alunos se dará conforme os Planos de Contingência de cada escola, os quais obedecem a metragem e o número de alunos por cada sala de aula.


“As salas de aula estão sendo equipadas para as aulas presenciais e online, contudo cabe a família a decisão sobre a modalidade que seu filho vai estudar, lembrando que há obrigatoriedade constitucional para a frequência das aulas a partir dos 4 anos, ou seja, as atividades deverão ser realizadas. Aos alunos que não têm acesso à tecnologia, a escola disporá material impresso, garantindo o direito a aprendizagem”, explica.

 


Carga horária


O tempo de permanência do aluno na escola é um aspecto que ainda precisa ser definido. A in-formação repassada pela 17ª CRE (Coordenadoria Regional de Educação) aos municípios da região é de que a carga horária não poderá ultrapassar 3 horas por turno, devido a necessidade de higienização dos espaços. “Nós não vemos funcionalidade neste período, pois dificulta a organização familiar. Porém, esta não é uma decisão da mantenedora. Para tanto, estamos buscando alternativas para que possamos atender tanto a Educação Infantil como o Ensino Fundamental em pelo menos um turno de 4 horas”, destaca.

 


Reordenamento do currículo


Durante a semana, o setor pedagógico realizou diversas reuniões com as equipes diretivas de cada escola, com o intuito de realizar o mapeamento de cada uma nas diferentes dimensões da gestão escolar, com ênfase nos indicadores de aprendizagem. O objetivo, segundo a secretária, foi balizar o que foi trabalhado e o que foi aprendido em 2020. A Secretaria de Educação, juntamente com os professores, realizará uma avaliação diagnóstica baseada em competências, em todos os anos do Ensino Fundamental, nos primeiros dias de aula. “A partir dos resultados, será realizado o reordenamento do currículo para 2021, considerando o tempo pandêmico e as lacunas na aprendizagem, as quais deverão ser sanadas em anos escolares em contínuo, ou seja, o que não foi possível cumprir em 2020 será reprogramado para 2021”, explica. 


“As consequências deste ano vão levar um tempo para serem resolvidas”, diz a secretária. “As escolas precisam se readaptar e, enquanto mantenedora, precisamos oferecer os insumos necessários para este novo formato de ensino-aprendizagem. Nós estamos empreendendo todos os esforços para que tenhamos um retorno seguro, responsável e com as condições necessárias para uma aprendizagem efetiva e inovadora”, ressalta a secretária.

 

 

Aulas da rede estadual retornam a partir de 8 de março

Retomada prevê ensino híbrido e ocupação de até 50% das salas de aula

As escolas estaduais iniciarão o ano letivo de 2021 a partir de 8 de março, de acordo com a Secretaria Estadual de Educação (Seduc). As escolas têm até 31 de janeiro para terminar o ano letivo de 2020, que passou por mudanças devido à pandemia de coronavírus.


O calendário prevê para o dia 8 de março o início das aulas para os alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental. No dia 11, os alunos do 6º ao 9º ano retomam as atividades. Já os Ensinos Médio e Técnico iniciam dia 15 de março.


De acordo com a Seduc, as aulas serão presenciais, com ocupação de até 50% das salas. Cada escola precisará elaborar um plano de escalonamento. A retomada das aulas também prevê o ensino híbrido, com turmas intercalando aulas presenciais e remotas, em dias diferentes ou semanas alternadas.