Esporte

Esporte

“Esperança não vem do verbo esperar, esperança 
vem do verbo esperançar”.
Mário Sergio Cortella
Use máscara, lave suas mãos, mantenha distância e cuide-se.


LINHA DO TEMPO: 7 de setembro de 2018, jogo Oriental x Amigos do Sandro Sotilli, com jogos e almoço de confraternização. Na foto, atletas da escolinha do Oriental e Botafogo, ex-atletas que fizeram história no verde e branco e no preto e branco e atuais atletas do veterano do Oriental: Diego, Paulão, Régis Baiano, João Batista, Marreca, Pavão, Chico Dummel. Agachados: Ale Ott, Martini, Vidote e Sandro Sotilli, atletas da escolinha Patrik, Misael, João e Mateus.

 

POR ONDE ANDA: Luiz Pereira, mais conhecido como Nena, veio de Blumenau (SC) e está em Três de Maio há 47 anos. Fez parte dos anos de ouro do Botafogo, de 1974 a 1985, e deixou sua marca como jogador. Foi campeão estadual de amador  em duas oportunidades; inclusive uma sendo invicto em 85. Orgulho enorme em  ter vestido a camisa preta e branca e ainda veste, só que fora das 4 linhas. O vínculo no clube continua forte; hoje é coordenador do Projeto “Viva Botafogo, Viva a Oportunidade”, que incentiva e apoia a formação de jovens atletas – e pessoas de bem – para a sociedade. Nena sempre participa dos jogos e acompanha o grupo em viagens por todo o Estado, representando Três de Maio e motivando as crianças e adolescentes no desenvolvimento pessoal. O esporte e o contato com a sociedade é uma marca importante em sua trajetória, e isso contou na escolha do Nena como um dos selecionados da região para carregar a tocha olímpica nas Olimpíadas do Brasil em 2016. Conhecido por ter trabalhado em uma agência bancária da cidade, hoje está aposentado, mas não está parado. Sua dedicação em colaborar com a comunidade não para: é um dos coordenadores do grupo AVIBEPAR (Associação Viver Bem com Parkinson).