Domingo, 24 de maio de 2020
Ano XXXI - Edição 1604
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

A Bolsa de Valores pegou coronavírus?

27/03/2020 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
A rapidez dos estragos econômicos causados pelo coronavírus pegou o mercado financeiro de surpresa. 
Que a bolsa de valores é formada por empresas, empresas essas que são formadas por pessoas não é novidade para ninguém certo? E este rápido aumento dos casos no mundo todo, já leva empresas, escolas e demais estabelecimentos a fechar seu funcionamento, ou produzir via Home Office, coisa que já está acontecendo aqui também. O impacto econômico por essas medidas é inevitável infelizmente. É uma situação delicada, minha opinião é que jamais um CNPJ irá vale mais que um CPF, más teremos que pagar a conta.
No tocante a investimentos, a pandemia decretada pela OMS provocou quedas repentinas e bruscas nos preços dos ativos negociados em Bolsa de Valores no mundo todo, e nós (Brasil) sendo um país emergente fomos o que mais sentiu, em alguns momentos passando de 40% de queda no índice da Bolsa de Valores de São Paulo, o IBOVESPA.
Neste momento, com Ações caindo, fundos imobiliários caindo e bloqueando o pagamento de dividendos, fundos de renda fixa atrelados ao Tesouro Nacional tendo deságio negativo. E por outro lado a taxa Selic sofrendo mais uma vez cortes chegando a 3,75% e ainda com perspectivas de novos cortes. A pergunta é: O QUE FAZER COM MEUS INVESTIMENTOS?
Vou exemplificar duas situações: Se você é um investidor que já está posicionado em ativos de maior risco como ações, entenda se o percentual que está nesta classe de investimentos está confortável e se for do teu interesse aumente posições, existem inúmeras ações sendo negociadas a um valor bem abaixo do justo, é a chamada promoção no mercado financeiro. Mas atenção, esse dinheiro que está em risco precisa estar alinhado com teus objetivos de investimentos. O Longo Prazo em investimentos de risco se trata de 5 a 10 anos. Caso você não tem essa disponibilidade avalie a diminuição da exposição a riscos.
Agora, se você é um investidos que está "ainda" alocado em Poupança, CDB, LCA, LCI, que te pagam uma taxa próxima a 100% do CDI, que momento de oportunidades você está vivendo, é a maior oportunidade de alavancar ganhos dos últimos tempos. Mas atenção, entenda o seu perfil de investidor, respeite os percentuais propostos por seu assessor, avalie a volatilidade que isso pode gerar na sua carteira de investimento e o mais importante, tenha um acompanhamento de profissionais qualificados no ramo de investimentos.
E alguns conselhos para ambos os casos:
1) Respeite a tolerância de riscos e volatilidade que tu está disposto a ter;
2) Tenha uma carteira diversificada;
3) Não opere derivativos e opções sem o acompanhamento técnico (o momento de buscar proteções já passou);
4) Não aja por impulso ou ansiedade, se tu tinha 1000 ações do Itaú a 30 dias atrás, hoje você segue tendo 1000 ações do Itaú. Não se desfaça desse patrimônio em virtude de uma volatilidade negativa momentânea. 
A única coisa desta crise que eu posso falar que é ela vai passar e após isso vamos olhar para trás e ver as possíveis maiores oportunidades de investimento da década.
Uma pergunta que recebo muito em minhas redes sociais e até mesmo de clientes é: Vini, quando o mercado vai voltar?
Bom,  quem prometer, comentar sobre a data que o mercado vai voltar aos patamares anteriores está se equivocando ou mentindo, ninguém consegue prever o futuro no mercado financeiro, principalmente em momentos de crise. Então ter visão de longo prazo é fundamental, principalmente neste momento.
Historicamente quando tivemos casos semelhantes a este no mercado financeiro tivemos as seguintes recuperações:
 Ataque às Torres Gêmeas - Setembro de 2001
 - Queda de -27,9% em 11 dias
 - Recuperação de 52% em 82 dias
 - Saldo final: +9,6%
Crise de 2008
 - Queda de -45,12% em 31 dias
 - Recuperação de 76% em 150 dias
 - Saldo final: -3,4%
Delação de Joesley Batista - Maio de 2017
 - Queda de -12,17% em 2 dias
 - Recuperação de 26% em 86 dias
 - Saldo final: +10,6%
Greve do Caminhoneiros - Maio de 2018
 - Queda de -20,24% em 25 dias
 - Recuperação de 40% em 165 dias
 - Saldo final: +11,6%
Por fim oriento os investidores que estão lendo a manteria a manter cautela, e ter uma visão de longo prazo, a cuidar a exposição a riscos e a única certeza que tenho a dizer, essa crise VAI PASSAR e sairemos dela ainda mais fortes. Ao comprar ações compre bons negócios, veja a empresa e se pergunte, EU SERIA DONO DE TODA ESSA EMPRESA? Se sim, compre. Se não, repense. Não é momento para comprar ações de negócios duvidosos, infelizmente alguns ficarão pelo caminho. Então escolha bem, junto com seu assessor quais são as empresas que mais fazem sentido para compor seu portfólio de investimentos. 
E por favor, não deixe essas oportunidades simplesmente passar.
Bons negócios a todos.
Vinícios Gehm, Economista e Assessor de Investimentos




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

27/03/2020   |
27/03/2020   |
20/03/2020   |
29/11/2019   |
22/11/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS