Sábado, 14 de dezembro de 2019
Ano XXXI - Edição 1586
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Mistério

13/09/2019 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Paulo Roberto do Nascimento*

Quando chovia lembrei-me dos guarda-chuvas que tive e os deixei em algum lugar, principalmente quando saí com chuva e no meio do caminho essa chuva parou. Neste mesmo momento me dei conta do número de guarda-chuvas que extraviei e nunca mais os encontrei.
Quem nunca passou por uma experiência parecida, ou seja, perder um guarda-chuva e nunca mais encontrá-lo?
Diante desta situação me paro a pensar, extraviei vários guarda-chuvas, mas nunca os encontrei ou encontrei outro guarda-chuva no lugar do perdido.
Outra situação que me ocorre é que além de não encontrar os meus guarda-chuvas perdidos também nunca encontrei qualquer outro abandonado. Eis que me surge a pergunta: Para onde vão os guarda-chuvas extraviados?
Deve existir um lugar, nesta ou em outra dimensão, reservado aos guarda-chuvas perdidos. Lugar esse desconhecido e inatingível por nós mortais.
Tratemos nosso problemas, nossas angústias, frustrações, ansiedades, enfim, tudo aquilo que, de uma ou outra forma, nos traz sofrimento, como os guarda-chuvas perdidos, ou seja, extraviá-los, em lugar incerto e não sabido, para que nunca mais os encontremos, pois só assim vamos conseguir iniciar ou reiniciar nossos projetos, que ainda não tivemos oportunidade de colocá-los em prática ou que, por algum motivo, não se realizaram.
Ah, e os guarda-chuvas? Vou adquirir um novo, primeiro para me proteger da chuva, e também para que tenha um de reserva para um dia extraviar e deixar que ele vá para esse lugar misterioso, onde residem todos os meus problemas.

*Major Nascimento




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

29/11/2019   |
22/11/2019   |
14/11/2019   |
08/11/2019   |
18/10/2019   |
11/10/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS