Sexta-feira, 13 de dezembro de 2019
Ano XXXI - Edição 1586
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para consumo

07/06/2019 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - HEROÍSMO - É muito difícil qualificar o verdadeiro heroísmo, os verdadeiros heróis. Olhando para trás, para o interior de outras décadas, ali aparecem algumas imagens quase apagadas que parecem terem as cores do heroísmo. Imaginem aqueles homens e mulheres, que vieram do outro lado do Oceano Atlântico, e se meteram no mato fechado e transformaram o Rio Grande do Sul em um dos estados mais prósperos do Brasil. Há muitos outros exemplos parecidos de homens e mulheres que têm cores heroicas. O que seria do Brasil sem eles? O que seria do Rio Grande do Sul sem eles? E aqueles que venceram vindos lá do fundo dos tempos, que não tiveram escolas, que não tiveram tecnologia e nem transporte? E venceram, no entanto. Estes também merecem o título de heróis? Talvez, sim. 

CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO - Vejam o que escreveu ou falou um economista alemão: "Criatividade é pensar novas coisas. Inovação é fazê-las." Isso, meus atentos amigos, não vale tão somente para economistas. Isso também é muito válido para administradores, sejam administradores públicos ou sejam administradores de empresas e instituições. Não adianta haver pessoas que pensam em coisas novas, se estas coisas novas não sejam postas em prática. As boas ideias de cidadãos que são criativos precisam ser ouvidas e estudadas, para que sejam implantadas as ideias viáveis, evitando que haja a estagnação. Só assim os resultados não demoram a vir, se é que o economista alemão, Theodore Lewitt, tenha razão no que nos ensina.

E NÃO HOUVE BAFAFÁ - Nesta dos fogos de artifício barulhentos o colunista se ferrou. Entendia-se que ia dar bafafá e não deu. O entendimento falou mais alto que o dinheiro. E, a partir de agora, não vamos mais ter barulho de foguetório, porque foi aprovada uma lei pela Câmara de Vereadores. Os idosos, doentes, crianças e até os cães agradecem. Falta, agora, uma lei visando amenizar os sons noturnos altos. Os decibéis muito além da conta poderiam ser amenizados para satisfação daqueles que precisam descansar. 

SENHORES GOVERNANTES, RESPEITEM O NOSSO DINHEIRO. POR FAVOR, SÓ INVISTAM AS SOBRAS. FAÇAM QUE NEM OS CIDADÃOS QUE SÓ GASTAM AQUILO QUE TÊM. 

CASO NEYMAR - Mandem o rapaz descansar. Ele está nervoso. Já deu um soco num torcedor francês e agora teria violentado uma sirigaita. Não é desses modelos que o Brasil precisa. Ele pode tudo por que tem muito dinheiro? Desse jeito está se desvalorizando e desvalorizando a nossa já decadente Seleção. 

"NÓS PODEMOS TORNAR O MUNDO MELHOR. BASTA NOS TRATARMOS COMO IRMÃOS". É o que nos ensina o colunista David Coimbra. 

102 ANOS - Alguém me mandou uma foto do padre Ghibaudo Orestes, com a legenda da comemoração dos seus 102 anos de vida e 72 anos de sacerdócio. O glorioso diretor do Cardeal Pacelli, que transformou a educação de Três de Maio, nas décadas de 1950, 1960 e 1970. Está vivo, sadio, residindo em Brasília, desde a década de 1980. Merece elogios e hosanas. Considero-o meu segundo pai. 

ESQUECERAM DO LEITE - Enquanto em outros municípios da região exaltam a importância do leite na economia da pequena propriedade, em Três de Maio a produção do leite foi esquecida. Isso que Três de Maio sedia a Lactalis, uma das maiores indústrias de lácteos do Estado. 

OS POLÍTICOS DE ESQUERDA SE DIZEM DO LADO DO POVO POBRE. NO ENTANTO, POUCO OU NADA FAZEM PELOS POBRES. Foram eles que levaram o Brasil à recessão e a esta triste situação de milhões de desempregados. Para mudar os rumos do País, todos precisam dar-se as mãos e caminhar para o mesmo lado.




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

29/11/2019   |
22/11/2019   |
14/11/2019   |
08/11/2019   |
01/11/2019   |
25/10/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS