Segunda-feira, 24 de junho de 2019
Ano XXXI - Edição 1563
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

22 de março - Dia Mundial da Água

29/03/2019 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
A água é o constituinte mais abundante nos corpo dos seres vivos, quer sejam terrestres ou aquáticos. No nosso corpo há de 65% a 70% de água. Em alguns animais marinhos, esse percentual pode chegar a 95% (medusas), em alguns vegetais também há percentuais elevados de água, a batata tem 78% e o tomate 95% de água. No geral, em média os seres vivos são compostos entre 70% e 90% pela água.
Sendo isto uma verdade, não seria difícil imaginar que a água deveria ser cuidada por todos como um bem muito precioso e essencial para a sobrevivência da espécie humana, mas isto não acontece. Atualmente, no mundo todo, cerca de 2 bilhões de pessoas são privadas do direito a água.
A gestão sustentável da água precisa ser prioridade para nossos governantes, atualmente imbuídos apenas de discursos fáceis e eleitoreiros e que, no momento da ação, todas as desculpas são aceitas para protelar os cuidados com a água. Costumo dizer que "falar em proteção ao meio ambiente e sustentabilidade, atrai votos, agir em defesa do meio ambiente, tira votos."
Em nossa região não temos grandes indústrias com potencial contaminante da água. No entanto, como não temos tratamento do nosso esgoto doméstico, grande parte deste esgoto é enviado, através das tubulações pluviais, diretamente para os rios, colaborando para a poluição da nossa água, transmitindo doenças, matando os peixes e a vida ribeirinha.
Com esse descaso dos governantes e da população geral, em 1992, a ONU (Organização das Nações Unidas) instituiu o dia 22 de março como "Dia Mundial da Àgua". Desde então, vem sendo lembrado por muitas entidades, como um dia mundial em defesa da preservação da natureza e a ONU redigiu um documento intitulado "Declaração Universal dos Direitos da Água", que transcrevo abaixo:

Declaração Universal dos Direitos da Água
Art. 1º - A água faz parte do patrimônio do planeta. Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável aos olhos de todos.
Art. 2º - A água é a seiva do nosso planeta. Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura. O direito à água é um dos direitos fundamentais do ser humano: o direito à vida, tal qual é estipulado do Art. 3º da Declaração dos Direitos do Homem.
Art. 3º - Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia.
Art. 4º - O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende, em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.
Art. 5º - A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como uma obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.
Art. 6º - A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.
Art. 7º - A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.
Art. 8º - A utilização da água implica no respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado.
Art. 9º - A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.
Art. 10º - O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.
Fonte: ONU (Organização 
das Nações Unidas)
Respeite a água, respeite a vida.

Marcelo Ramos Tomasi



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

21/06/2019   |
14/06/2019   |
07/06/2019   |
31/05/2019   |
24/05/2019   |
24/05/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS