Segunda-feira, 22 de abril de 2019
Ano XXX - Edição 1554
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Mestre Vilmar Schroer se recupera para poder voltar aos tatames

08/02/2019 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Professor de taekwondo e agricultor, ele sofreu um acidente de trânsito em dezembro do ano passado. Além de utilizar colete cervical por 120 dias, terá que ficar mais seis meses de recuperação em casa
Com 30 anos dedicados ao taekwondo, reconhecido por seus inúmeros títulos em competições no Estado e no Brasil, o mestre Vilmar Schroer, 49 anos, de Três de Maio, enfrenta uma das maiores batalhas de sua vida. E não é dentro dos tatames. 
Em 15 de dezembro, ele foi a Porto Alegre, na Federação Gaúcha de Taekwondo, levar um aluno da sua academia (Academia Vilmar Schroer de Taekwondo) para o exame de faixas. No retorno para Três de Maio, no dia 16, por volta das 16h, na estrada entre Erval Seco e Palmeira das Missões, ele e o aluno sofreram um acidente de trânsito. Ao tentar desviar de um veículo que fazia uma ultrapassagem indevida, o veículo que Vilmar estava, bateu contra uma árvore.
"Foi um milagre termos sobrevivido. Acredito que Deus me deu mais uma missão aqui na terra", afirma o atleta, que também é agricultor.
Do acidente, ficaram as lembranças e as marcas. "Sofri fraturas de três costelas, as duas escápulas, e seis vértebras da coluna cervical. Segundo os médicos, por ter uma estrutura corporal muito forte, escapei de morrer no local do acidente. Os médicos disseram que esse tipo de acidente sempre leva à morte", revela. Já o aluno, sofreu apenas ferimentos leves.

Recuperação lenta 
Depois de três dias internados em um hospital em Passo Fundo, onde foi atendido por quatro médicos, Vilmar, que também é agricultor, segue em recuperação. 
"Terei que usar o colete cervical por 120 dias e depois disso, ainda tenho que ficar mais seis meses sem poder fazer nada. Ou seja, ainda tenho que me cuidar muito", conta, lembrando que nunca havia ficado tanto tempo afastado de suas atividades profissionais.
Aos poucos, ele consegue se movimentar lentamente, mas não pode sair de casa. "Estou quase chegando ao segundo mês de recuperação. Mas não posso me movimentar muito, pois uma das vértebras da coluna é a que poderia ter me deixado paraplégico. Então, estou só em casa; da cadeira para a cama e da cama para a cadeira", revela.

Apoio da família, amigos e comunidade 
Mestre na arte marcial do taekwondo, ele demonstra a gratidão pelo amor e apoio que está recebendo da esposa e dos filhos, que são "anjos" em sua recuperação. "Hoje só tenho a agradecer a Deus pois tive uma nova chance de vida. Sou muito grato a minha família. Também agradeço o imenso carinho que estou recebendo das pessoas da nossa cidade e região."

Força de vontade e luta diária
A parada brusca e repentina deixou Vilmar entristecido, como ele mesmo conta, mas não o desanima para continuar lutando para restabelecer sua saúde. "Ainda é cedo para avaliar se vou poder lutar ou treinar. Certamente, alguma sequela irá ficar. Mas procuro forças em Deus para logo poder estar bem, recuperado e, pelo menos, tentar fazer o melhor que puder, novamente", declara.
O fato de ser atleta, e na arte do taekwondo, que trabalha o corpo e a mente, ajuda ele a se fortalecer em "um caso tão crítico com o qual está passando". 
Vilmar lamenta que hoje em dia, o trânsito (de um modo geral, em todo o país) está caótico. "Nas estradas é muita imprudência, se vê muitas ultrapassagens perigosas e em locais proibidos. Falta muita conscientização. Mas, por outro lado, já tivemos vários casos de acidentes de trânsito com alunos também e sempre graças à prática do taekwondo todos tiveram uma boa recuperação", finaliza.

Atividades na Academia
Durante seu afastamento, a Academia de Taekwondo está sendo comandada pelos alunos faixas pretas: Christofer Lenz, Leonardo Strieder e Ademir Deminschinski, aos quais ele faz um agradecimento especial. Atualmente, a Academia conta com 35 alunos, dos 6 aos 50 anos de idade. 
Mestre em taekwondo, Vilmar tem longa trajetória de conquistas e muitos títulos em competições no Brasil 

Na foto, Vilmar estava no hospital em Passo Fundo, onde ficou três dias internado. 
Agora, ele se recupera em casa, usando o colete cervical





Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

05/04/2019   |
30/11/2018   |
16/11/2018   |
26/10/2018   |
21/09/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS