Terça-feira, 19 de fevereiro de 2019
Ano XXX - Edição 1545
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para consumo

11/01/2019 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - RENOVAÇÃO - De tempos em tempos vem a renovação. E ela é necessária. Isso na vida das pessoas e da comunidade é uma constante. Basta acompanhar os fatos. Nas últimas eleições houve uma reviravolta completa. Tudo porque os cidadãos, os eleitores sentiram a necessidade de uma mudança. E tudo aconteceu em poucos meses, porque o País e os cidadãos  estavam vivendo uma situação insuportável. Não houve apenas a troca de maus governantes, mas houve, sobretudo, a mudança de ideologia. A maioria dos estados brasileiros, além do governo central, mudaram da água para o vinho. Milhões de brasileiros se enojaram do procedimento de muitos políticos corruptos e votaram em novas expectativas, em novos nomes e em novas siglas. E estamos vivendo tempos de renovação. Para que a renovação seja efetiva, cada cidadão brasileiro precisa fazer sua parte. 
A PREVISÃO DO CRESCIMENTO DA ECONOMIA BRASILEIRA EM 2019 É DE 2,53%. E A INFLAÇÃO DO ANO DEVE FICAR ABAIXO DE 4%. 
BOA PERGUNTA - Será que vamos vencer a guerra contra a violência e o fraco desempenho de nossa economia? Esperar para ver. 
É PRECISO CORTAR - O governo, tanto o federal, como o governo do Estado tem que cortar, cortar e cortar. O quê? Vantagens. Por exemplo, existem pelo amado Rio Grande afora 30 Coordenadorias de Educação, onde trabalham centenas de professores, que deveriam estar em salas de aula. Existe a possibilidade de reduzir aquelas 30 Coordenadorias a 12. Mas, desde logo, há forte reação contra a medida saneadora, porque há muitos interessados na mamata. Como veem, é difícil fazer mudanças. 
VEJAM SÓ - Existem no Estado 99 mil professores aposentados e  apenas 65 mil em atividade. Em algum lugar da nossa história educacional alguém errou. 
ANALISE MAIS ESSA - "Se Guedes e Moro (ambos ministros do governo Bolsonaro) tiverem  autonomia e poder para melhorar as condições da economia e da segurança pública, o Brasil ganha. Se o governo se concentrar na pauta de costumes, na ideologia e no antipetismo, o Brasil perde". As considerações são do colunista David Coimbra. 
O PERIGO NOS RONDA - Os encarregados da Saúde da atual gestão estão perdendo a guerra contra o mosquito - o famoso pernilongo - que atormenta as noites dos tresmaienses. O perigo ronda Três de Maio, porque o mosquito pode ser transmissor da dengue. 
FOGUETÓRIO - O Natal e o Ano Novo é, e sempre foi, de muito foguetório. Neste ano até nem foi tanto como em outros tempos. Alguns até alegaram motivos. Aliás, a mentalidade do foguetório está mudando, a partir das grandes cidades, como São Paulo e Rio de Janeiro, onde a legislação proíbe fogos com tiros. Tudo para colaborar com os animais, as pessoas idosas, crianças e doentes. Tomara que nos anos futuros os amantes dos fogos locais também entendam esta nova mentalidade. Este colunista agradece. 
FAÇAM AS CONTAS - 1939-2019. Esperem até dezembro, façam as contas, e saberão a idade deste colunista. Estamos pronto para enfrentar mais um ano. Com a força e a graça de Deus, com certeza, vamos varar os 12 meses do ano em curso em paz e com saúde. Desejamos que todos possam continuar auferindo nossos textos. Feliz 2019!



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/02/2019   |
08/02/2019   |
01/02/2019   |
25/01/2019   |
18/01/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS