Terça-feira, 11 de dezembro de 2018
Ano XXX - Edição 1536
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para consumo

16/11/2018 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - RESPEITO  - Cadê o respeito? Os filhos não respeitam os pais. Os alunos não respeitam os professores. Mães de alunos se irritam com professores, xingam os educadores e batem neles. Cidadãos não respeitam as normas e as leis. As autoridades policiais estão sendo tristemente desrespeitadas por motoristas e  pedestres. Maridos não respeitam as esposas, desbocando e batendo nelas. Cidadãos de ínfima moralidade agridem e matam jovens adolescentes e até crianças em busca de satisfação sexual. É a quintessência da falta de respeito ao ser humano. O respeito, infelizmente, evaporou da nossa sociedade. O santo respeito deve nascer lá atrás, no seio da família, sendo os primeiros mestres desta ciência de vida, os pais. Depois a escola precisa reforçar a plantinha nascida no lar, para que ela cresça com força vida afora.

NÓS OS CIDADÃOS TEMOS QUE RESPEITAR AS LEIS, A CONSTITUIÇÃO, AS NORMAS E TAMBÉM OS MANDAMENTOS. 
PREOCUPAÇÃO COM A EDUCAÇÃO: "ESTOU PROCURANDO ALGUÉM PARA SER MINISTRO DA EDUCAÇÃO QUE TENHA AUTORIDADE. QUE EXPULSE A FILOSOFIA DE PAULO FREIRE. QUE MUDE OS CURRÍCULOS ESCOLARES, PARA APRENDER 

QUÍMICA, MATEMÁTICA, PORTUGUÊS, E NÃO SEXO." A frase é do presidente eleito, Jair Messias Bolsonaro. É isso, ou se busca mais? 

FESTA DO MORANGUINHO E DA AMORA - Está acontecendo nesta semana, na cidade de Feliz, Vale do Caí, a 20ª Festa da Amora e do Morango. Foi lá que começou, ainda na década de 1960, na localidade de Escadinhas, onde vivi meus primeiros anos de vida, a cultura diversificada do morango, que tomou proporções e, hoje, dezenas de municípios produzem o moranguinho. Mas os produtores primários não ficaram só no morango e, hoje, estão produzindo amora, goiaba, figo, entre outras frutas. É a sede pela diversificação.

DIVERSIFICAÇÃO EM GOIÁS  - Nas décadas de 1970 e 1980, o estado de Goiás se tornou o destino de muitos gaúchos, muitos deles de Três de Maio, porque havia abundantes terras agricultáveis baratas. Inicialmente, o objetivo era plantar soja e milho. Mas lá está acontecendo a diversificação, porque, hoje, muitos produtores  estão plantando alho e cebola. E, agora, muitos pequenos produtores estão se dedicando à produção de mexerica - é a nossa bergamota - do tipo ponkan e está dando bons resultados, rendendo bom dinheiro. É o caminho da diversificação. 

SAFRA MENOR  -  A previsão é de uma pequena queda na safra de grãos de 2018/2019. Coisa de 0,2% a menor. Contudo, a safra do Rio Grande do Sul, deverá ser superior à safra passada em torno de 4,5%, conforme as previsões. A queda deverá acontecer nas outras regiões agrícolas. O principal fator da pequena queda seria o elevado custo da produção. 

QUEM VAI PAGAR?  - Quem, quem vai pagar a pesada conta do Estado com as prefeituras e os hospitais? A dívida com os hospitais sobe a 500 milhões. Muitos funcionários de hospitais não recebem seus salários há meses e  muitas casas de saúde não têm como atender os clientes. Seria uma dívida algo superior a 1 milhão para cada município. É dinheiro! Para onde está caminhando a nossa saúde? E para onde está caminhando a nossa economia? 

MENOS MAL  - Que a produção do leite no Município de Três de Maio voltou à ordem do dia. Nós temos um Programa de Produção de Leite que precisa ser preservado e incentivado. Não pode haver discriminação, porque se trata de uma excelente diversificação, principalmente nas pequenas propriedades, onde não compensa a cultura da soja ou do milho. Palmas para quem não riscou o leite da conta da diversificação.




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

30/11/2018   |
23/11/2018   |
01/11/2018   |
26/10/2018   |
19/10/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS