Terça-feira, 23 de outubro de 2018
Ano XXX - Edição 1530
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Administrador

21/09/2018 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
As demandas organizacionais destacam a necessidade de administradores com novas habilidades e competências vinculadas à tomada de decisão. Em tempos de economia e de indústria 4.0, não se pode mais admitir que os profissionais permaneçam focados unicamente em fatores como clareza de papel, controle e especialização. A nova economia exige habilidades voltadas à velocidade, flexibilidade, integração e inovação, como fatores críticos para a tomada de decisão.
Muitas instituições de ensino superior (IESs) ainda não se atentaram para a distância existente entre o curso e a realidade de mercado. Não por acaso, os novos instrumentos de avaliação de cursos trazem a palavra INOVAÇÃO, presente em grande parte dos critérios. Por outro lado, percebe-se também que, embora muitas instituições de ensino superior busquem inovar seus projetos pedagógicos, acabam sendo barradas por restrições financeiras oriundas de uma política pública de educação superior, mais voltada para a diplomação de jovens do que para o desenvolvimento de profissionais com todas as habilidades e competências demandadas pelo mercado.
Outro ponto que merece destaque na formação de administradores é o corpo docente, muitas vezes resistente à inserção de tecnologias elementares em suas aulas. Neste caso, a missão da IES deve ser no sentido de capacitar os docentes para a utilização de maneira eficiente de todo o mix tecnológico disponível para a docência. Um dos principais aspectos a serem vencidos nesta capacitação está em mudar o foco do processo de aprendizagem para o aluno e não somente para a quantidade de conteúdo, sendo que este, hoje, está à disposição de todos por meio das diferentes ferramentas tecnológicas.
O novo administrador precisa tomar decisões com base em informações confiáveis, diante de uma imensa quantidade de dados. Precisa desenvolver a capacidade de fazer perguntas inteligentes e buscar as respostas em plataformas analíticas de dados como o Big Data ou mesmo a inteligência artificial.
Projeta-se que em vinte anos 80% dos tipos de trabalho atuais deixarão de existir. Outras atividades irão surgir, no entanto, a ciência da administração certamente continuará sendo essencial à gestão das organizações.

Administrador Antonio R. L. Ternes
Diretor-geral das Faculdades Integradas Machado de Assis, de Santa Rosa




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

19/10/2018   |
11/10/2018   |
05/10/2018   |
28/09/2018   |
14/09/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS