Sexta-feira, 21 de setembro de 2018
Ano XXX - Edição 1525
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

E então se casou com o "problema"...

31/08/2018 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Ao ler a afirmação acima, você, leitor, pode estar pensando que se refere a instituição do casamento, mas não é a este que me refiro. Pense sobre o que é para você um casamento: imagine como um casal chega até o grande dia do casamento, como se conheceram, começaram a namorar, noivaram e decidiram oficializar a relação através do casamento!
OK, mas o que tem ao casamento a ver com o dia do Psicólogo? Muita coisa. Novamente, peço que não pense no casamento literal entre duas pessoas, pense no que é um casamento para você: para alguns uma prisão, para outros felicidade, sinônimo de companheirismo, família, amor, etc... Agora pense em como deve ser ir dormir e se levantar com um problema, todos os dias, de domingo à domingo, sem folgas, férias ou feriados. Parece ruim não é mesmo? Todos temos problemas, alguns financeiros, amorosos, de relacionamento social, de personalidade, de amizades, etc... Mas qual a diferença entre uma pessoa que tem um problema e uma com um problema que faz terapia? A diferença é que quem faz terapia busca resolver os seus próprios problemas. Parece redundante, todos queremos que um problema se solucione. Errado! Muitas pessoas gostam apenas ade se queixar de um problema, que as demais confirmem o quanto este problema lhe causa sofrimento.
Todos nós temos algo a nos aperfeiçoar, afinal, o clichê é válido: "ninguém é perfeito!", e a partir disto, não devemos apenas nos conformar com nossos problemas, mas sim o que podemos fazer HOJE, para enfrenta-lo, diminuí-lo ou acabar com ele. Perdemos noites de sono, ânimo e alegria tentando enfrentar algumas situações na vida sem sucesso. Mas onde se encaixa o Psicólogo nisso? Se encaixa no momento que você decide buscar ajuda especializada, com alguém que se utiliza de técnicas e experiência profissional para lhe ajudar.
Voltemos ao casamento: algumas pessoas se casam com seus problemas. Parece estranho, mas muitas vezes, as pessoas acham que não há saída, que não há volta, que não poderão mais mudar a sua própria situação. E de forma alguma o casamento deva ser sinônimo disto, mas vejo muitas pessoas assumindo a personalidade do problema, como por exemplo: eu SOU ansioso, eu SOU depressivo... as pessoas têm ansiedade, as pessoas têm depressão, é um erro assumir o problema como parte do seu próprio ser, como sendo algo que não poderá ser dissociado da sua personalidade.
A Psicologia é uma ciência, não jogamos conversa fora, por mais que ao paciente as vezes possa entender desta forma. Se pontuamos ou intervimos em algum ponto da terapia é motivo de que temos base científica e técnica para tal, bem como para o silêncio. A profissão vai muitíssimo além da clínica convencional, temos a Psicologia do Esporte, a Psicologia Organizacional, a Clínica, a Hospitalar, de Trânsito, Jurídica, Educacional, entre tantas outras áreas. Não podemos limitar uma profissão a apenas um segmento, assim como o casamento não é a mesma coisa para todo mundo.
Então, para se separar do seu problema, o Psicólogo pode te ajudar a entender o motivo pelo qual você resolveu se "casar" com ele, o motivo pelo qual dorme e acorda todos os dias com ele e o motivo pelo qual você sente que precisa aguentar e conviver com o mesmo. O Psicólogo pode fazer muito por você, assim como mostrar o caminho pelo qual você precisa percorrer até se separar do seu problema, entender quem é você, por mais doloroso que possa ser muitas vezes.
Diversas vezes amigos e pacientes pedem como saber se a terapia está dando certo. Você saberá quando a terapia está surtindo efeito, quando você fica mais inquieto frente as suas questões, fica mais irritado, mais nervoso, é sinal de que estamos chegando na terapia no ponto onde a raíz dos problemas se convergem. Pode parecer estranho colocar desta forma, mas é sinal de que você não está mais na zona de conforto da sua vida, está buscando resolver o problema que se propôs e isso é difícil, exige energia, exige dedicação e, às vezes, sacrifícios. Mas quando alguém tem alta da terapia, tenho certeza que vê as coisas sob outra perspectiva. O Psicólogo não irá fazer a caminhada por você, assim como em um casamento ninguém namora por outra pessoa, se fazemos o que fazemos é por nós, então, o Psicólogo te acompanha na sua caminhada até o momento em que você conseguirá resolver seus problemas de forma mais assertiva e saudável, aí temos a alta. Não é o objetivo da terapia a dependência com o profissional.
Para (não) finalizar... o dia alusivo ao Psicólogo é 27 de agosto, refere-se à uma profissão que vai muito além do atendimento às pessoas em sofrimento mental; quem vai ao Psicólogo busca ajuda, seja para conflitos conjugais, comportamentais, questões infantis, ansiedade, depressão, vai porque não está conseguindo o sucesso na vida pessoal e profissional que havia planejado, entre tantas outras áreas. Então, como um profissional da Psicologia pode te ajudar hoje?

Psicóloga Clínica Marjana Thomé Damm
 CRP 07/27269




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

14/09/2018   |
06/09/2018   |
17/08/2018   |
27/07/2018   |
13/07/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS