Sexta-feira, 21 de setembro de 2018
Ano XXX - Edição 1525
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Três-maiense Willian Reffatti é o novo reforço da equipe de Pafiakos do Chipre

31/08/2018 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Aos 31 anos, dos quais 17 de carreira no voleibol, atleta já atuou em equipes de Portugal, Colômbia, Argélia e Marrocos

Na cidade de Paphos, no país de Chipre, o três-maiense Willian Reffatti da Costa, 31 anos, é o novo contratado da equipe de voleibol do Pafiakos. Ele embarcou para o país, onde se fala grego - conhecido como a Ilha da Afrodite, localizado ao leste do Mar Mediterrâneo, ao Sul da Turquia -, na última quarta-feira, 29. O contrato começa a valer nesta temporada 2018/19.
Refatti, como é mais conhecido, é atleta profissional de voleibol há 17 anos. Saiu de Três de Maio, aos 14 anos, em busca do seu sonho. Sua primeira equipe foi a Verde Vale, no ano de 2001, na cidade de Rio do Sul, em Santa Catarina. Sua última temporada foi pelo Botafogo, do Rio de Janeiro, durante um ano. 
Na última quarta-feira, 29, ele partiu para encarar o novo desafio acompanhado da família. "Foi uma exigência minha e não abro mão de estar com ela", disse o atleta ao Semanal, destacando o apoio da família e a expectativa de "poder alcançar os objetivos do time, e contribuir da melhor forma possível para que isso ocorra."
O ponteiro já atuou em importantes clubes no Brasil e do exterior. Sua primeira experiência no exterior foi na temporada 2012-13 no time do Sport Clube Lisboa Benfica, em que conquistou os títulos da Liga A Portuguesa e também da Supertaça de Portugal. E coleciona títulos nacionais e internacionais, entre eles: campeão sul-americano infanto na Colômbia; vice-campeão mundial infanto na Argélia; campeão sul-americano juvenil em Manaus; campeão mundial juvenil no Marrocos; campeão Brasileiro de Seleções por São Paulo; e outros.
Sobre a participação no voleibol mais importante e decisiva que teve, o três-maiense revela que, com certeza, foi o campeonato mundial no Marrocos em 2007, quando era capitão da equipe que superou a seleção da Rússia. "Consegui ser o maior pontuador da final com 14 pontos. Ainda tenho o vídeo gravado para mostrar a minha filha", destaca. 

Faltam oportunidades no voleibol local
Questionado como avalia a questão do esporte em sua cidade natal, em especial, o voleibol, Reffatti declara que não pode afirmar muita coisa, pois já está fora de Três de Maio há muitos anos. Mas lamenta: "saí daqui porque não tive oportunidades." 
E resume a situação: "tínhamos escolas com projetos pequenos e fechados, e, por esse motivo, aos 14 anos fui abraçar meu sonho em outro estado. Gostaria muito quando retornasse a Três de Maio, evoluir esse pensamento quanto ao sonho das crianças, pois o meu sonho pode ser também de várias outras que hoje não encontram um lugar para jogar, ou não tem a mínima estrutura para tal. Três de Maio tem espaço e capacidade de desenvolver um projeto voltado para o vôlei. Espero conseguir ajudar a minha cidade natal com um projeto voltado a todos que amam esse esporte que me formou, que me ajudou a ser um ser humano melhor, que me deu tudo que tenho hoje e espero continuar no vôlei mesmo fora de quadra", afirma.

Carreira rentável, dependendo das oportunidades
Ainda, conforme o atleta, seguir uma carreira no voleibol pode ser considerado rentável; porém, depende das oportunidades que surgem. "Com certeza, seu trabalho será reconhecido de acordo com o esforço que você empenha durante a jornada. Posso afirmar que tudo que tenho hoje foi através do voleibol. Construí e continuo construindo meu futuro e o da minha família. O voleibol me proporcionou também o que tenho de mais precioso, a minha família", diz o atleta, que é casado com a ex-jogadora de vôlei Juliana Costa. O casal tem uma filha, Antonella, de 4 meses.
Depois de 17 anos fora de casa, ele confessa que consegue lidar melhor com a saudade dos pais e irmãos, demais familiares e amigos. "Todos torcem muito por mim e sabem que a minha vida é essa; e que estou indo atrás dos meus sonhos."

Equipes e principais títulos conquistados
Em nível de Brasil, Reffatti já atuou nos clubes: Verde Vale/Rio do Sul; Banespa; Banespa/Mastercard/São Bernardo; Santander/Banespa; Santander/Banespa/São Bernardo; Ulbra/Suzano/Massageol; Ulbra Massageol; Ulbra/São Caetano; Pinheiros/Sky - BMG/Montes Claros; UFJF; Volta Redonda;  Bento Vôlei/Isabela; Montes Claros Vôlei; Botafogo.
Seus principais títulos são: campeão Sul-Americano Infanto Juvenil; vice-campeão Mundial Infanto Juvenil; bicampeão Sul-Americano Juvenil; campeão Mundial Juvenil; vice-campeão dos Jogos Abertos/SP; vice-campeão Paulista; tricampeão Paulista; campeão da Liga Portuguesa; campeão da Supertaça de Portugal; campeão da Superliga B; vice-campeão Gaúcho; campeão sul-americano infanto na Colômbia; vice-campeão mundial infanto na Argélia; campeão mundial juvenil no Marrocos; campeão brasileiro de seleções por São Paulo; duas vezes vice-campeão brasileiro por Santa Catarina; campeão sul-americano juvenil em Manaus.

FOTO: DIVULGAÇÃO



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

06/09/2018   |
24/08/2018   |
17/08/2018   |
17/08/2018   |
10/08/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS