Quinta-feira, 19 de abril de 2018
Ano XXIX - Edição 1503
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para consumo

06/04/2018 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - VERDADE VERDADEIRA -  Lembram-se os latinzeiros? Verdade vem do Latim: veritas, veritatis. Então, Vera Veritas. Ela existe a verdadeira verdade? É preciso perscrutar profundamente para dar uma resposta convincente. Talvez, a melhor resposta seja: depende. Quando alguém diz que é um bom cidadão, pode ou não ser verdade. Quando alguém diz que é bom pagador, é possível constatar. Afirmar-se ser bom cristão, bom pai de família, bom profissional, bom professor,  bom motorista, enfim, é possível constatar. Através dessas considerações chega-se à conclusão de que a verdade é relativa. E que a verdade verdadeira é difícil de constatá-la. Por isso, tantas vezes, ficamos na dúvida, quando alguém diz que fulano é um bom político. Fulano é um homem honesto. 

O OBJETIVO MAIOR FOI O EMPREGO. A APROVAÇÃO DO PROJETO DE LEI n° 003/2018 (O MAIS POLÊMICO DOS ÚLTIMOS 20 ANOS) POR VOTO DE MINERVA, TEVE COMO RAZÃO MAIOR A CRIAÇÃO DE EMPREGOS, DESCONSIDERANDO-SE TODOS OS DEMAIS ÓBICES. 

INFELIZMENTE, HÁ CIRCUNSTÂNCIAS EM QUE O CIDADÃO NÃO PODE SEQUER FALAR OU ESCREVER A VERDADE. SE O FIZER, É AMEAÇADO DE PARAR NA JUSTIÇA, SER PRESO OU ATÉ LEVAR UM TIRO. HÁ CIRCUNSTÂNCIAS EM QUE AMEAÇAS NÃO FALTAM. EM CERTAS CIRCUNSTÂNCIAS, A VERDADE DÓI, PORQUE MACHUCA INTERESSES.

CONTROVÉRSIA DOS EMPREGOS - Ela existe em Três de Maio. A maioria dos nossos  filhos estão longe daqui, espalhados nas lonjuras deste País em busca do sonhado emprego. Quando se abrem vagas, vêm gente de fora. São os esquemas. Façam, por favor, um levantamento.

PÁSCOA-SURPRESA - O colunista teve uma Páscoa-Surpresa. As visitas inesperadas vieram de surpresa e de longe. As duas filhas - a mais velha e a mais nova - fizeram uma surpresa inacreditável. Vieram passar a Páscoa em Três de Maio as filhas residentes em Dois Irmãos e Sorriso-Mato Grosso. 

ESSA É DE RUI - "POUCO SE ME DÁ QUE CLAUDIQUE A ONAGRA, O QUE ME APRAZ É ACICATÁ-LA" Esta é lá do início do século XX, quando o Águia de Haia estava em alta. Segundo o colunista David Coimbra isso significaria mais ou menos "Pouco importa que a mula manque, o que eu quero é rosetar". Perceberam? 



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

13/04/2018   |
29/03/2018   |
23/03/2018   |
16/03/2018   |
09/03/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS