Quarta-feira, 13 de dezembro de 2017
Ano XXIX - Edição 1487
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Sidnei Budke

01/12/2017 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Filiação: Ari Budke e Elaine Budke 
Casado com Alcione Potratz, capixaba, advogada e diretora de um órgão público. 
Reside: Região Metropolitana da ilha de Vitória, ES. 
Pai de: Benício, a espera para janeiro. 
Há quantos anos saiu de sua cidade: há 14 anos, mas visito com frequência. O desejo é preservar o vínculo  e os laços de convivência com a minha cidade natal.  É sempre uma alegria retornar e reencontrar pessoas queridas.
Escolaridade:  Graduação e Mestrado em Teologia (Faculdades EST, São Leopoldo); Formação Internacional em Coaching/Inteligência Emocional (Florida Christian University, Estados Unidos);  Psicologia Pastoral (Wartburg Theological Seminary, Estados Unidos), Inglês e Relações Internacionais (Northwest Community College / Illinois Valley Community College, Estados Unidos). 
Profissão: sou Teólogo e Pastor Ordenado pela Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - IECLB. Recentemente lancei um livro sobre Lutero e a midiatização da religião em alusão aos 500 anos de Reforma Protestante. O livro foi publicado por uma editora alemã e já está disponível pela "Amazon" (livraria online). Atualmente, coordeno um Centro de Treinamento Humano (Coaching e Inteligência Emocional) na Praia da Costa, Vila Velha, ES. 
O que mais gosta de sua cidade natal: Três de Maio é uma cidade desenvolvida. O índice de desenvolvimento humano da cidade ultrapassa a média nacional.  As distâncias geográficas da capital gaúcha e de outros grandes centros urbanos não impediram o crescimento e o desenvolvimento da cidade. É, sem dúvida, um local de perspectivas futuras. As crises que a cidade enfrenta são as mesmas existentes em outras regiões do país, mas considerando os fatores como qualidade de vida e desenvolvimento, a cidade preserva um diferencial.  As pessoas são dinâmicas, possuem visão de futuro e realizam projetos com eficiência. Pessoas assim fazem a diferença.  Para ser mais específico, o que mais gosto na minha cidade natal, é o valor pelas relações humanas, pelo diálogo e "jeito acolhedor".   
De que você mais gostava quando morava em Três de Maio? eu sinto saudades das programações culturais realizadas pelas igrejas, escolas e centros comunitários. Era um momento de integração. Três de Maio é uma cidade festiva e celebrativa.
Hábito que não abro mão: um bom chimarrão e conversa com amigos. Sem dúvida, a tradição do chimarrão é um hábito praticado pela maioria dos gaúchos. Não importa o quanto migramos ou mudamos, tal hábito é preservado e respeitado. Um momento de conversar e refletir as coisas da vida. Um momento para preservar os costumes que perpassam gerações.
O negócio do futuro: Centros de Inteligência Emocional (unidades de treinamento humano). Treinar e capacitar as pessoas para lidar com suas emoções. É preciso desenvolver habilidades emocionais e não apenas habilidades cognitivas. A humanidade passa por uma grande crise. As pessoas foram treinadas e capacitadas cognitivamente, mas pouco preparadas emocionalmente. A ausência de habilidades emocionais em muitas situações contribui à 'epidemia' da depressão, da ansiedade, da falta de compreensão das necessidades humanas mais básicas.  Acredito que é tempo de 'investir' nas emoções e tornar o ser humano preparado para os desafios de hoje. Viajo diferentes lugares do Brasil falando deste tema e cada lugar aponta a mesma realidade: pessoas buscando compreender suas inquietações emocionais. Por um muito tempo, as emoções foram tratadas com superficialidade ou insignificância. O resultado de tal comportamento: há famílias destruídas, empresas com conflitos internos, clínicas psiquiátricas cada vez mais lotadas. A Inteligência Emocional precisa fazer parte da rotina das escolas, empresas, instituições, enfim, do 'tecido social' de uma comunidade. Afinal, quantas pessoas 'perdem' o rumo de suas vidas por não desfrutarem da compreensão necessária de suas emoções? As emoções são 'guias' que nos levam ao sucesso ou ao fracasso. É comum ouvir a expressão: 'deixa a vida me levar!' Costumo dizer: 'quem não sabe para onde ir, qualquer caminho serve'. E qualquer caminho, faz com que muitas pessoas se percam.  Para saber escolher os melhores 'caminhos', torna-se prudente treinar as habilidades emocionais. 
Seus aplausos vão para: as pessoas que, diariamente, assumem o compromisso de fazer o bem. O mundo se torna mais bonito graças à bondade. Hoje muitos se ocupam com o sucesso pessoal. É prazeroso o sucesso, mas se não enxergar o porteiro do prédio, o vizinho de rua, a senhora de idade avançada, a criança que pede por atenção, os mais necessitados, as maiores conquistas perdem o sentido. A palavra de Deus ensina: 'amemos uns aos outros, pois o amor procede de Deus' (1 João 4:7). 
Faça hoje algo que mudará a vida outra pessoa. Não espere o amanhã para liberar amor, pois o amanhã pode ser o hoje.





Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

08/12/2017   |
24/11/2017   |
17/11/2017   |
10/11/2017   |
03/11/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS