Terça-feira, 12 de dezembro de 2017
Ano XXIX - Edição 1487
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Riscos do vínculo empregatício

22/09/2017 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
O vínculo empregatício existe mesmo sem carteira assinada, e os riscos de manter um funcionário sem regulamentação devem estar claros.
O trabalho informal é uma foram de manter um funcionário sem os seus reais custos para uma empresa e também uma alternativa para quem necessita de emprego. Contudo, no momento em que a empresa, ou pessoa física contrata um empregado sem carteira assinada e sem pagar os devidos direitos previstos na constituição, assume o risco de receber processos durante o período de trabalho ou após uma demissão.
Existem três funções que caracterizam o vínculo empregatício. Se a pessoa trabalha de maneira não eventual, ou seja, todos os dias, recebe ordens, sendo subordinado a alguém e se depende economicamente do trabalho, mesmo que não tenha carteira assinada, caracteriza-se o vínculo empregatício.
Apresentando este quadro e havendo provas, o funcionário pode exigir seus direitos como décimo terceiro, FGTS, férias, aviso prévio, entre outros. Depósitos bancários, testemunhas e qualquer prova que mostre a relação de emprego ocorrida é verificada na justiça e na grande maioria das vezes, o ganho de causa é do empregado. O advogado afirma que, as empresas quando optam pelo trabalho informal por redução de custos devem estar cientes de que isso pode acarretar grandes prejuízos mais adiante.
Conforme o especialista, assim que dado o ganho de causa ao empregado, o empregador deve acertar tudo o que está previsto em lei, independente do valor, ou realizar acordo. Esta segunda opção deve ser enquadrada como um acordo judicial, onde fica estabelecido um valor e formas de pagamento que fiquem bem para as duas partes. Todavia, chamo a atenção que o acordo deve ser feito judicialmente.
Um acordo feito sem a aprovação da justiça não possui garantia de nada e o funcionário pode voltar a processar a empresa se quiser. O papel da justiça é tentar amenizar os prejuízos e, para isso, o melhor a fazer é realizar um acordo judicial que contemple empregador e empregado de maneira justa e viável.

Fernando Damiani, 
advogado - OAB  18.477 



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

08/12/2017   |
01/12/2017   |
24/11/2017   |
17/11/2017   |
10/11/2017   |
03/11/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS