Segunda-feira, 25 de setembro de 2017
Ano XXIX - Edição 1476
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Como lidar com o ciúme?

18/08/2017 - Por Yara Lampert
Tweet Compartilhar
De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia, 80% das pessoas avaliam o ciúme, como uma oportunidade para reexaminar a relação. 
E parece que, no Brasil, os casais têm muitas oportunidades para reexaminar os relacionamentos. Segundo dados de uma pesquisa da Universidade de Sunderland, na Inglaterra, os brasileiros são os mais ciumentos entre as nacionalidades investigadas.
O problema é que, o exame da relação a partir do ciúme constante, pode levá-la ao fim. "O ciúme pode fazer perder o parceiro, como tanto teme o ciumento", diz a psicóloga clínica, especialista em Relacionamento Amoroso e Transtornos de Ansiedade, Maria Aparecida Barbosa. 

Como é definido o ciúme pela psicologia?
O ciúme está relacionado à ameaça de perda de alguém que se ama para outra pessoa. É um sentimento muito doloroso para quem sente e nunca vem sozinho, vem associado a outros como a raiva, o desejo de vingança, a auto-piedade, a inveja, a inferioridade, a ansiedade. Pode ser grave e persistir por muito tempo. Está diretamente relacionado à falta de auto-estima e falta de confiança em si próprio, mais do que na falta de confiança no companheiro. Vemos que há diferentes graus de ciúme, mas sempre associado ao grau de posse e medo da perda.

Muitos ciumentos se defendem dizendo que "todo mundo tem ciúme". Isto é verdade? O ciúme é natural?
É verdade, todo mundo tem ciúme, afinal, se você gosta de fato da pessoa que está ao seu lado, não quer perdê-la. É natural querer manter quem se quer bem e cuidar para que isso aconteça. Mas, o ciúme é natural quando ocorre algo concreto e real, por exemplo: numa festa, alguém começa a chamar atenção da pessoa que está com você e ela demonstra gostar disso, logicamente, vai despertar seu alerta para tirá-lo dessa situação e proteger seu relacionamento. Entretanto, essa questão precisa ser resolvida e se encerrar por ali. Se você ficar achando que todos com quem seu companheiro(a) conversa é um(a) rival em potencial e isso levar a acusações, a brigas, já deixa de ser saudável para a relação e causa sofrimento a ambos.

Há também quem diga que "ama demais", por isso tem ciúme. Ciúme é sinônimo de amor ou de amor em excesso?
Algumas pessoas consideram o ciúme prova de amor, como se medo de perder alguém sempre significasse que se ama. Na verdade, podemos não querer perder alguém por inúmeras razões que não sejam o amor: medo de ficar só, dependência emocional, insegurança, posse etc. Quando se ama muito alguém, a última coisa que se quer é controlá-la e podar seu potencial, comportamento comum no ciumento exagerado, que, por exemplo, não quer que a pessoa se arrume, invade a privacidade do outro checando emails e celular, coloca obstáculos para que o outro tenha amigos. Que amor é esse?

Muitos falam em cinco níveis de ciúme (zeloso, enciumado, ciumento, fóbico e patológico). Como se manifesta cada um desses níveis?
Zelo é um termo interessante para um relacionamento, está associado a cuidar e quanto mais você cuida da pessoa que você ama e da relação de vocês, menos risco de uma terceira pessoa ameaçar. É mais saudável e funcional do que controlar. Agora, quando se perde a paz ao pensar: onde o outro está e com quem, o que está fazendo, quando se começa a criar histórias na cabeça para justificar o motivo do atraso ou o porquê não foi atendido quando ligou, seguir a pessoa etc. são exemplos de que, quando as dúvidas são supervalorizadas, começa o estágio patológico.
O ciúme é como o sal, um pouco dá sabor, muito faz mal à saúde e requer  tratamento. O ciúme é bom quando faz o outro sentir-se importante na sua vida e que você não quer perdê lo e é doentio quando a outra pessoa se sente sufocada, oprimida, agredida e humilhada e até chega a ter medo de te contar alguma coisa, como por exemplo, ter reencontrado um amigo ou uma amiga porque trará discussões.

Sobre quem se relaciona com um ciumento(a) como a pessoa deve agir para ajudar o parceiro?
A pessoa que se relaciona com um ciumento, normalmente vive uma relação sofrida, tumultuada e nada prazerosa. Para evitar conflitos, o companheiro(a) tende a se anular, deixa de usar as roupas que gosta, se afasta da família, amigos, vai se isolando na esperança de trazer paz ao relacionamento, só que esse não é o caminho, pois, esse tipo de comportamento, alimenta o ciúme do outro que vai exigir sempre mais e mais, nunca será suficiente.
0 caminho para se conviver com um ciumento é aprender a se colocar e por limites. Não deixe seus amigos, sua família, seu trabalho. Assim, o parceiro vai aprendendo a lidar com suas dificuldades e vai até procurar ajuda profissional se necessário, e a relação irá evoluir para algo saudável.

Cite algumas dicas práticas para um ciumento conseguir mudar
- Confie em você, o companheiro(a) tinha outras opções para se relacionar  e escolheu você;
- Cuidado com seus pensamentos e percepções. O ciumento vê as coisas com lente de aumento e tende a estar equivocado quando interpreta as situações que envolvem o companheiro(a);
- O ciúme pode afastar a pessoa que você ama. E ,sobretudo, lembre-se: se a pessoa for embora, você vai sobreviver , você já tinha uma vida antes dela.

Quando é a hora de procurar ajuda profissional?
O momento para se procurar ajuda é quando o ciúme está causando danos à vida do casal. Muitas vezes o ciúme desencadeia uma série de problemas como o pensamento obsessivo, transtorno de ansiedade, agressividade que trazem sérios prejuízos para todas  as áreas da vida. Aí, com certeza, deve-se procurar ajuda profissional.

Fonte:www.entrevista-como-lidar-com-o-ciume-e-com.html 
PsicologaMaria Aparecida Barbosa




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/09/2017   |
08/09/2017   |
01/09/2017   |
25/08/2017   |
11/08/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS