Quinta-feira, 21 de setembro de 2017
Ano XXIX - Edição 1475
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Depressão e bipolaridade

14/07/2017 - Por Yara Lampert
Tweet Compartilhar
Nunca as palavras depressão e bipolaridade estiveram tão presentes no nosso dia a dia. Mas o que significa? O que são essas doenças? Tem cura? Como tratar? Para falar sobre este tema tão complexo, nesta e nas próximas duas edições, iremos abordar um pouco sobre este universo. Iremos trazer depoimentos de especialistas, pessoas e familiares que convivem diretamente com a depressão e bipolaridade. 

O que é o transtorno bipolar?  
O transtorno bipolar é a doença psiquiátrica mais associada a suicídios, e atinge cerca de 3% da população mundial. Considerada uma gangorra emocional, a doença é caracterizada por alternâncias de períodos de depressão: o ânimo da pessoa afetada oscila de um extremo ao outro, em reações desproporcionais aos fatos da vida ou até mesmo sem um motivo aparente, fugindo do controle. As crises podem ser graves, moderadas ou leves.
As viragens do humor, num sentido ou noutro têm importante repercussão nas sensações, nas emoções, nas ideias e no comportamento da pessoa, com uma perda importante da saúde e da autonomia da personalidade.

Quais são os sintomas da doença? 
- Irritabilidade extrema; a pessoa torna-se exigente e zanga-se quando os outros não acatam os seus desejos e vontades;
- Alterações emocionais súbitas e imprevisíveis, os pensamentos aceleram-se, a fala é muito rápida, com mudanças frequentes de assunto;
- Aumento de interesse em diversas atividades, despesas excessivas, dívidas e ofertas exageradas;
- Grandiosidade, aumento do amor próprio. A pessoa pode sentir-se melhor e mais poderosa do que toda gente;
- Energia excessiva, possibilitando uma hiperatividade ininterrupta;
- Diminuição da necessidade de dormir;
- Aumento da vontade sexual, comportamento desinibido com escolhas inadequadas;
- Incapacidade em reconhecer a doença, tendência a recusar o tratamento e a culpar os outros pelo que corre mal;
- Perda da noção da realidade, ideias estranhas (delírios e vozes);
- Abuso de álcool e outras substâncias.

Tipos de transtorno bipolar
- Transtorno bipolar tipo 1: é o mais grave. Nesse tipo, a pessoa passa por fases de manias que duram semanas a meses, intercaladas com períodos de depressão profunda;
- Transtorno bipolar tipo 2: esses pacientes não apresentam episódios maníacos profundos. Quando ocorrem, são brandos e leves, caracterizados por elevado nível de energia e impulsividade que não são tão intensos como os da mania (chamado de hipomania). Esses episódios se alternam com episódios de depressão, que são mais duradouros;
- Ciclotimia: é uma forma leve de transtorno bipolar, que envolve oscilações de humor menos graves. Pessoas com essa forma alternam entre hipomania e depressão leve.

Principais causas do transtorno bipolar
A causa exata do transtorno é desconhecida, mas diversos fatores estão envolvidos nas oscilações de humor provocadas pela doença. São eles:
- Alterações funcionais do cérebro, que possui áreas fundamentais para o processamento de emoções, motivação e recompensas. O desequilíbrio entre os neurotransmissores é um fator considerado importante nas causas do transtorno bipolar;
- Desequilíbrios hormonais;
- Hereditariedade: pessoas com parentes com histórico de transtorno bipolar são mais suscetíveis à doença;
- Problemas de rejeição na gravidez ou infância, traumas, estresse, abuso sexual e outras experiências traumáticas (como a morte de algum ente querido, sequestro, assaltos e experiência de quase morte).

Porque é tão importante a conscientização dos doentes, dos familiares e de outras pessoas sobre a doença bipolar?
Verifica-se uma tendência para considerar negativamente as pessoas que sofrem de doenças psiquiátricas e é frequente a ideia de que as doenças mentais são qualitativamente diferentes das outras doenças.  Por vezes, o diagnóstico médico das diferentes doenças psiquiátricas não se faz na altura própria, por variadas razões, e isso acontece, com alguma frequência, na Doença Bipolar. O conhecimento, mesmo que simplificado, das características da Doença Bipolar facilita a seu reconhecimento aos próprios (que a sofrem) e aos outros, possibilitando uma maior ajuda a muitas pessoas que carecem de um tratamento médico adequado e de uma solidária compreensão humana.

Fonte: Fadeb.pt/pages/o-que-e-a-doenca-bipolar
ADEB Associação de apoio aos doentes depressivos e bipolares





Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/09/2017   |
08/09/2017   |
01/09/2017   |
25/08/2017   |
18/08/2017   |
11/08/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS