Quarta-feira, 22 de maio de 2019
Ano XXX - Edição 1558
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

10/06/2016 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - EDUCAÇÃO LEVADA A SÉRIO - Tempos houve em que a Educação era levada a sério. E deu bons resultados. No decorrer do tempo, a qualidade do ensino empalideceu e, sobretudo, o ensino público deixou a desejar. Temos sérios problemas nas escolas públicas, envolvendo os educadores, os alunos que se arrogam o direito de ocupar prédios, tudo por causa da falta de uma melhor estrutura. A escola não pode ser um centro de formação ideológica, de ensino partidário, com interesses políticos. A escola não tem como objetivo a doutrinação marxista, esquerdista ou comunista dos estudantes e nem de identidades de gêneros. A preocupação central deve ser com a qualidade do ensino. A qualidade de ensino exige preocupação com o conteúdo e com a prática, visando a preparação de cidadãos íntegros e de profissionais competentes. Mas enquanto persistirem os movimentos grevistas e protestos reiterados de professores com o apoio dos educandos e a despreocupação com o conteúdo programático, a meta de um ensino qualificado não será alcançado tão cedo. Todas ou quase todas as pessoas conscientes pensam desse jeito. 

AS PALAVRAS MAIS USADAS ULTIMAMENTE SÃO GOLPE E TERRORISMO. Chega de enganação!

ROMBOS - Seis em cada dez municípios têm rombos nas contas. Mais de 60% das prefeituras brasileiras vão terminar o ano no vermelho. Este é, ao menos, o prognóstico da Confederação Nacional dos Municípios - CNM. Isso assusta, porque a Lei da Responsabilidade Fiscal será descumprida por muitos prefeitos. Atualmente, apenas 10% dos 5.570 municípios do País têm arrecadação própria suficiente para bancar suas despesas. Um absurdo isso. É a dependência. 

MAIS MILHO - Neste momento existe uma grande preocupação com a produção de milho. Os criadores de aves e os suinocultores atualmente estão tendo problemas no trato dos animais, por causa da carestia e do alto peço do milho. Por isso, a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Irrigação está propondo o aumento de 13% para a área cultivada do milho no Estado, na próxima safra. A produtividade do milho tem sido boa nas últimas safras, mas o preço quase sempre desestimula. 

MAIS TRIGO - O momento também é bom para o trigo. O clima vai ajudar: frio e pouca chuva. Além disso, o preço está em alta por falta do cereal no mercado. A cultura do trigo depende de muitos fatores para uma boa colheita. Além de bastante frio e pouca chuva durante o processo vegetativo, também fazem parte do sucesso de uma boa safra não acontecerem geadas na floração e pouca chuva na colheita. Os produtores precisam prestar muita atenção e ter sorte. 

"QUE TODOS OS ENVOLVIDOS SEJAM INVESTIGADOS E, SE CULPADOS, PUNIDOS POR ISSO". A frase é do deputado estadual Sérgio Turra. Não cumpre só levantar a lebre, mas é preciso caçá-la. 

NOVAMENTE O QUEIJO - Voltou à ordem do dia a adulteração do queijo. Várias indústrias gaúchas produtoras de queijo foram surpreendidas vendendo queijo impróprio para o consumo. Até quando esta falta de respeito com o consumidor? No caso, o dinheiro é mais importante do que a saúde. Aviltar produtos de consumo é gol contra. 

HAJA CORAÇÃO PARA AGUENTAR O NOSSO FUTEBOL: O DOS CLUBES E DA NOSSA SELEÇÃO. MUITO DINHEIRO PARA POUCO JOGO. 




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

17/05/2019   |
10/05/2019   |
04/05/2019   |
26/04/2019   |
12/04/2019   |
05/04/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS