Domingo, 26 de maio de 2019
Ano XXX - Edição 1558
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

20/05/2016 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - LIBERDADE - Só se valoriza a liberdade depois que se a perde. É, ao menos, o que dizem. Parece uma coisa abstrata a liberdade, mas, na verdade, é algo muito concreto. A gente pode fazer o que quiser. Pode ir para onde bem entender. Isso é liberdade. Mas o abuso da liberdade tem suas consequências nefastas. Temos total liberdade para beber o que quisermos e o quanto quisermos, mas haverá consequências. Vale também para as drogas. Só que as consequências são desastrosas. Isso também vale para o sexo, para a ingestão de alimentos, velocidade. É preciso saber usar bem a liberdade. É preciso ter discernimento. O mundo está cheio de exemplos de cidadãos que perderam a liberdade porque não souberam usá-la adequadamente. Há aqueles que estão recolhidos aos presídios. Há aqueles que estão entrevados nos leitos de hospitais. Ser livre é tão bom. Saber desfrutar da liberdade faz do ser humano um privilegiado. Todos sabem o que podem e o que não podem. Então, depende de cada um fazer bom uso daquilo que pode e daquilo que não pode. 
FRASES PARA SEREM MEDITADAS: 
1 - "É um bando de político em prol de si mesmo. É uma luta entre partidos e não pelo povo". A frase é de Janine Salles, mulher do deputado federal Leonardo Picciani (PMDB- RJ). 
2 - "As empresas, ao longo do tempo, deseducaram os consumidores". João Rezende, presidente da Agência Nacional de Telecomunicações. 
3 - "A melhor forma de aumentar a arrecadação é retomar o crescimento". Henrique Meirelles, ministro da Fazenda de Michel Temer.
MENOS ESPAÇO PARA TRIGO - A área de trigo a ser plantada na presente safra pode encolher 15,8% em relação ao ano passado. É o menor espaço para o cereal-rei nos últimos 10 anos. Os motivos desse desinteresse pela cultura do trigo são o baixo preço, as condições climáticas adversas e o alto custo de produção. 
COISAS DA POLÍTICA BRASILEIRA - O fotógrafo pessoal de Lula (omitimos o nome) recebia R$ 35 mil mensais da Confederação Brasileira de Futebol. Coisa desse tipo não acontece em nenhum lugar do mundo. Ele disse na despedida de Dilma: "Agora, estou indo para casa". 
OUTRA - O deputado Waldir Maranhão, aquele que assumiu interinamente a Câmara dos Deputados, tem um filho médico que atende em dois hospitais em São Paulo, onde faz pós-graduação. Ao mesmo tempo, o privilegiado é funcionário do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão, onde recebe mensalmente R$ 6.529,86 - a boquinha do Thiago, que foi dispensado após a notícia de mais uma falcatrua. Claro que assim não dá. Qual pai, tal filho. 
"PARECE QUE ELE VAI TER QUE FAZER MILAGRE". É a colocação do ex-senador Pedro Simon sobre o mandato interino de Michel Temer. 
HERANÇA MALDITA - Olhem só, a Petrobras, a maior empresa do país, registrou um lucro líquido de R$ 35 bilhões no começo do governo Dilma, em 2011. Já, em 2015, a nossa maior empresa encerrou o ano com prejuízo líquido de R$ 37 bilhões. É o que se pode chamar de herança maldita. 




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

17/05/2019   |
10/05/2019   |
04/05/2019   |
26/04/2019   |
12/04/2019   |
05/04/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS