Segunda-feira, 26 de agosto de 2019
Ano XXXI - Edição 1571
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

08/04/2016 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - FIDELIDADE - Nem todos têm esta virtude. Aliás, muito poucos conseguem ser fiéis durante muito tempo. Então, durante o tempo todo, nem falar. Não é só no casamento que se requer fidelidade. Nas relações cotidianas há que se ter um comportamento fiel em muitas circunstâncias. Depende muito e quase exclusivamente do caráter da pessoa a observância desse comportamento. Se fizerem uma resenha das pessoas, hão de verificar quão difícil é encontrar cidadãos que foram e são fiéis a seus compromissos. E muito mais difícil é encontrar quem uma vida inteira não traiu o compromisso assumido, seja com pessoas, seja com entidades, ou seja com afinidades ideológicas. Via de regra, a maioria das pessoas conseguem ser bastante volúveis. Mudam facilmente de ideias e trocam de atitudes. E também não respeitam as relações trabalhistas ou funcionais. Muitas vezes se fala no cão como fiel companheiro do homem, para significar que o cachorro não trai o seu dono. Por sinal, muitos cães recebem o nome de Fiel. Bom seria que as pessoas tivessem todas, também, este bom instinto do animal. 

DÍVIDA QUE DÓI - Em matéria de dívida, os cofres públicos federais dão o mau exemplo. Vejam só, a nossa dívida pública federal atingiu R$ 2,8 trilhões. É muito dinheiro. Só de juros foram pagos, em fevereiro, R$ 30,51 bilhões de reais. É grana para não botar defeito. Tudo, tudo porque se gasta muito mais do que se arrecada.

LEMBRANÇA - O dia 04 de abril lembra ao colunista o início das atividades no então Ginásio Pio XII. O ano era o de 1962 e quem arrastou o colunista para a carreira do magistério foi o padre Ghibaudo Orestes, diretor do estabelecimento. Lá se foram 54 anos, dos quais 40 no magistério. 

SÓ 10% dos entrevistados aprovam o governo de Dilma Rousseff e 69% o consideram ruim ou péssimo. É pouco. E 82% dos entrevistados desaprovam a forma de Dilma Rousseff governar.

ESPAÇO - 0 milho volta a ter espaço com o aumento da produtividade e de melhores preços no marcado. Já se antevê que na próxima safra a área de plantio aumentaria. Tanto as culturas de inverno como de verão, oscilam conforme as condições climáticas e o valor de mercado. 

O MODELO É NOVO - Jamais houve parcelamento no pagamento dos vencimentos de servidores públicos, que se tenha notícia. O modelo criado pelo governo do Estado em parcelar salários do funcionalismo é algo inédito. Os vencimentos de março serão parcelados em até move prestações. Inédito! Só que isso é uma contingência da atual situação econômica do Estado que arrecada menos do que gasta. Quem vai mudar isso? Imagina se isso pegar nos municípios e nas empresas privadas.

PEDALADAS FISCAIS - Se as "pedaladas fiscais" não são ilegais e não podem ser criminalizadas, todos os governantes poderão valer-se delas e não podem ser apontadas pelo Tribunal de Contas da União/TCU e pelos Tribunais de Contas do Estado/TCE. Certo ou errado? 

ONDE ACHAR CANDIDATOS QUE NÃO ESTEJAM CONTAMINADOS? Os incrédulos perguntam. 



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

16/08/2019   |
09/08/2019   |
02/08/2019   |
26/07/2019   |
19/07/2019   |
12/07/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS