Terça-feira, 20 de agosto de 2019
Ano XXXI - Edição 1571
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

29/05/2015 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - NÃO É PRECISO SER RICO para ser feliz. Se assim fosse, os monges seriam infelizes. Os religiosos e religiosas, quase todos, seriam infelizes. Muitos pais de família, que zelaram pela educação e formação de seus filhos, também seriam infelizes. A felicidade não tem a conotação do dinheiro, como muitos pensam e querem. Existem muitas maneiras outras de ser feliz. Não precisa ser atleta ganhando R$ 500 mil por mês, ou um técnico, ganhando 3 milhões de euros por ano, ou um palestrante recebendo R$ 400 mil por palestra, ou um assessor de empresas colocando na sua conta bancária 1 milhão por mês. Se esta fosse a conotação da felicidade, teríamos um mundo cheio de pessoas infelizes. Existe o professor que transcende ao dinheiro para educar com felicidade. Existe o religioso ou a religiosa que transmite a fé e o bem, apesar dos polpudos cifrões. Existe a mãe que constrói a sua família e cuida dos filhos com zelo, sem altos salários. E o policial que zela pela segurança com proventos insignificantes, deveria estar chorando todo tempo de infelicidade. É preciso concluir que não é preciso ser endinheirado para gozar da felicidade.

"A Petrobras é uma página virada". São palavras da nossa presidente, como quem diz, está tudo resolvido. Estão tentando varrer a sujeita para debaixo do tapete.

SITUAÇÃO DELICADA - Que situação a do governador do Estado. Por falta de receita, está tentando atrasar vencimentos de servidores estaduais, parcelando-os E já existe a ameaça de servidores, querendo encaminhar um pedido de "impeachment" do governador à Assembleia Legislativa por crime de responsabilidade fiscal. Pode o governador ser responsabilizado pela situação falimentar do Estado, em menos de cinco meses de governo? É muito cinismo.

PRESTEM BEM ATENÇÃO -
As pessoas mal-intencionadas querem culpar as prefeituras pela desativação das emergências nos hospitais. Isso é dever do governo da União. Cadê o SUS?
 
O MUNDO ESTÁ EM POLVOROSA. POR QUE TANTA GENTE FUGINDO DOS SEUS PAÍSES? Até o Brasil está recebendo fugitivos. O amado Rio Grande também.

DUPLO PROCEDIMENTO: Quando falta dinheiro: contingenciamento (cortes). Quando há dinheiro: esbanjamento. Assim procedem os governantes lá na ilha da fantasia.

CHANTAGEM - É o que estão fazendo com os deputados: o corte no contingenciamento será proporcional às medidas do ajuste fiscal a ser aprovado pelos parlamentares.

O USO DE ARMAS É UM DIREITO EXCLUSIVO DA BANDIDAGEM. O MEDO ESTÁ NA RUA.

SONEGÔMETRO EM ALTA - Nesta altura de 2015, o Sonegômetro já está registrando R$ 200 bilhões sonegados. No ano passado, foram sonegados R$ 500 bilhões. A evasão de impostos é de 8,6% do PIB. É hora de cuidar mais dos que fraudam o fisco. O Impostômetro já marcou 800 bilhões, vai passar dos 2 trilhões, no glorioso 2015.




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

16/08/2019   |
09/08/2019   |
02/08/2019   |
26/07/2019   |
19/07/2019   |
12/07/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS