Quinta-feira, 22 de agosto de 2019
Ano XXXI - Edição 1571
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

12/12/2014 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - CONSERVADORISMO - Há aqueles que são radicalmente contra o conservadorismo e pregam o liberalismo sem fronteiras. Abrir mão do que se aprendeu no colo da mãe e nas noturnas preleções, à luz da lâmpada a querosene, do pai, está em cheque. Foram lições de vida de raro conservadorismo. Lições que os da velha guarda não esquecem. Lá se aprendeu sem custos a economizar, a respeitar os bens alheios e respeitar, sobretudo, as pessoas. Lá se aprendeu os bons costumes. E não vamos esquecer, lá na escolinha da mamãe, nos tempos de antanho, a velha guarda aprendeu a trabalhar e dar duro, para vencer na vida. Este espírito de luta diuturna em busca de vitórias e de conquistas é puro conservadorismo. Tempos houve em que nada se obtinha de mão beijada e também não havia a barganha: toma isso e dá cá aquilo. Estão errados os conservadores de ontem que respeitam os mandamentos e os sacramentos? É possível ser conservador, sem abrir mão dos princípios sadios que a vida nos ensinou em prístinas eras, adicionando doses homeopáticas de liberalismo.

MICROCRÉDITO - Está funcionando em Três de Maio, nas dependências do Palácio Municipal, desde junho de 2011, o Programa do Microcrédito. Neste período já foram beneficiados cerca de 530 pequenos empreendedores. E o total liberado já atinge R$ 3.980.000,00, sendo que os aportes vão de R$ 6.000,00 a R$ 15.000,00. O prazo para devolução do microempréstimo vai de seis a 24 meses. A inadimplência, neste período, não chega a 1%, garante o operador local do microcrédito.

PIB GAÚCHO CAI MAIS - O Produto Interno Bruto do Rio Grande do Sul, anunciado constantemente como o maior do País, neste glorioso 2014, teve queda de 0,3% no terceiro trimestre. Mas no acumulado do ano teve crescimento de 0,1%. Pouco, muito pouco para um Estado que já foi o Celeiro do Brasil.

MAIS JUROS - Para segurar a inflação, o Comitê de Política Monetária/Copom anunciou aumento de mais 0,5% da taxa básica Selic, passando para 11,75%. É o segundo aumento consecutivo. É uma ferramenta já surrada para segurar a espiral inflacionária. A nova disposição econômica do governo é segurar as pontas. A ordem da nova equipe econômica, já conhecida, é rigor. É preciso segurar a disparada do dólar, da inflação e da queda da bolsa. E evitar economia recessiva.

MUITO DINHEIRO -
Fala-se muito na necessidade de investimentos para animar ou reanimar a economia brasileira. E aí surge o BNDES, anunciando para o período de 2015-2018, 4,1 trilhões para investir. Vejam que isso não é dinheiro pouco, porque é quase o PIB anual da economia brasileira. Os investimentos serão destinados aos segmentos da agricultura, serviços, indústria, infraestrutura, moradias, como setor elétrico, portos e aeroportos. Poderá servir como excelente alavancagem para nossa economia, desde que o dinheiro não seja malversado e sirva para animar a corrupção.

DUAS FRASES - "Refém do andar de cima, o PT é cada vez mais uma caricatura dele próprio!". De um histórico petista, Marcos Rolim. "O PT caiu na vala comum dos demais partidos". Esta é do governador Tarso Genro.

O NATAL VEM AÍ TRAZENDO A FELICIDADE.




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

16/08/2019   |
09/08/2019   |
02/08/2019   |
26/07/2019   |
19/07/2019   |
12/07/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS