Quarta-feira, 22 de maio de 2019
Ano XXX - Edição 1558
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

05/12/2014 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - BOCUDO - É aquele que fala pelas tripas do diabo. E atropela os que vêm andando no mesmo tranco. O bocudo não respeita e nem é educado: atropela. É tomado pela sofreguidão e pela ânsia de derrubar quem vem pela frente. O bocudo não tem papas na língua. Há os que entendem que não se vence pela boca. Mas pelo trabalho. Outros acreditam que os vitoriosos são os que se esmeram no estudo e na aplicação. E outros há que acreditam na perspicácia e esperteza. É preciso convir que existe o ditado: quem tem boca vai a Roma. E quem não tem boca vai a lugar algum. Não se pense, contudo, que o bocudo seja benquisto. Muitos lhe têm aversão. O bocudo, via de regra, não respeita ninguém e quer fazer tudo pela loquacidade. O balaqueiro entende que com balaca se arruma e se conserta tudo. Falando demais muitos também se dão mal. Dizem o que não deviam e entram em cano. Até para falar é preciso conhecer os limites. Se dá mal muitas vezes, quem mal se pronuncia. O educado fala mansa, quase sempre, é rotulado de tímido, infelizmente.

IMPOSTO DE RENDA MAIS SALGADO -
Preparem-se os contribuintes do Imposto de Renda, porque o IR em 2015 vai ser ainda mais salgado. Há uma defasagem quilométrica em relação à inflação. A correção nacional da remuneração neste glorioso 2014 foi de 6,78%, enquanto que a tabela do IR teve uma correção de 4,5%. A defasagem chega a 64,36%. Se souberem a quem reclamar, avisem. Lá se vai boa parte do suor sagrado do trabalhador.

COM CERTEZA NO MERCADO BRASILEIRO A LAVA-JATO DEVE TER VALORIZADO ENORMEMENTE.

A frase da semana: "Nunca se roubou tão pouco". A frase é de um prefeito do Vale dos Sinos. E que frase!

PROPINA É O AUMENTATIVO DE GORJETA. E PETROLÃO RIMA COM MENSALÃO.

QUAL A RONHA DO MOMENTO? -
Vocês, talvez, não saibam que a ronha atual é em função dos altos salários, alguns autoconcedidos. Um ministro do STF abocanhando R$ 35.900,00 mensalmente. Vejam só a discrepância, o subsídio de um Procurador Público é de R$ 26.569,00(bruto), quando o subsídio do governador é de R$ 17.347,14(bruto), sendo líquido R$ 12.662,84. O governador ganha menos do que muitos prefeitos e muitíssimo menos do que um deputado ou senador. O salário bruto de um secretário de Estado é R$ 11.564,76(bruto). Há uma total discrepância salarial.

RIGOR É A PALAVRA DA MODA - Depois de gastos exorbitantes nos cofres da União, durante o presente exercício, ano de eleições, agora, a palavra de ordem é rigor, fechar as torneiras, porque a coisa está ruça. Até a escolha dos ministros da equipe econômica foi feita segundo critérios de austeridade. Com certeza, nos municípios será adotado o mesmo refrão: torneira fechada.

BARGANHA - É sinônimo de negociata. Segundo o senador Pedro Simon, "isso é uma vergonha!" O governo propôs aos deputados e senadores a aprovação de uma manobra fiscal para ganhar verba extra, para distribuir em seus feudos. Tudo para evitar que as contas da presidente fechem no vermelho, porque a arrecadação será insuficiente para cobrir o rombo, o que contraria a Lei de Responsabilidade Fiscal. Prefeitos e governadores terão a mesma regalia?




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

17/05/2019   |
10/05/2019   |
04/05/2019   |
26/04/2019   |
12/04/2019   |
05/04/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS