Domingo, 26 de maio de 2019
Ano XXX - Edição 1558
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

14/11/2014 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - A DEPENDÊNCIA DAS PESSOAS - Praticamente ninguém mais consegue ser autônomo. O cidadão brasileiro simplesmente virou governo-dependente. Para tudo as pessoas apelam para a ajuda governamental. O cidadão brasileiro quase virou propriedade do Estado. Precisa de remédio, corre ao posto implorar a doação do medicamento. Precisa ir à escola, não o faz sem o transporte escolar. A saúde fica por conta da infraestrutura pública. Isso torna o cidadão impotente. E cada vez mais, porque o hábito fica cada vez mais arraigado. Por isso, os contribuintes têm dificuldade de pagar tributos, porque ficou mal acostumado. Muitos não conseguem dar conta do lixo ou dos entulhos, muito menos dos resíduos sólidos. Tempos houve em que as pessoas eram bem mais independentes e faziam os seus deveres às próprias custas. Foram forjados cidadãos de forte têmpera, naqueles recuados tempos, que não refugavam a luta e o sacrifício. Mas para infelicidade geral da Nação estes cidadãos já estão no ocaso de suas existências. Razão pela qual lá adiante faltará quem se capacite lutar por si e pelos seus.

MUDANÇA - "Não tenha medo da mudança. Ela assusta, mas pode ser a chave daquela porta que você tanto almeja abrir". O recado é da filha, Lia Clarissa, residente em Sorriso, Mato Grosso.

PIOR DO QUE o colunista só a locatária da sede do Diretório Estadual do PT em Porto Alegre, que não recebe o aluguel. A lei do inquilinato não está com nada, pois.

DENUNCISMO - Está solto na nossa aldeia. Talvez, para encobrir o pouco brilho eleitoral acendeu-se essa fúria em achar funcionários-fantasmas. Ao invés de procurar mensaleiros e petrolões ou Pronaf-envolvidos, ficam buscando eventuais funcionários-coitados-trabalhadores. Deviam existir penas severas para os denunciadores vazios.

DEFICITÁRIO - Infelizmente, o orçamento do exercício de 2014 do nosso amado Rio Grande acaba o ano com déficit colossal de 1,5 bilhão. O estranho em tudo isso é que o Estado não responde como os prefeitos pela Lei da Responsabilidade Fiscal. Os municípios não podem terminar o ano no vermelho, sob pena de o prefeito responder pela gestão negativa dos recursos. As finanças na ilha da fantasia também estão deficitárias - 18 bilhões nos últimos cinco meses - e a dívida pública da União é superior a 2 trilhões. Segura, peão!

AINDA QUE MAL PERGUNTE: O BOLSA FAMÍLIA NÃO PODERIA SER SUBSTITUÍDO PELO BOLSA-RESPONSABILIDADE? Já que teremos novo governo com novas ideias.

CAMPANHAS MILIONÁRIAS - As campanhas eleitorais não precisavam custar tudo isso. A campanha a deputado federal mais cara do Rio Grande do Sul custou 2,7 milhões. Em outros estados houve gastos bem mais encorpados. Há deputados que chegam a arrecadar até 7 milhões. Se fizerem as contas, a campanha eleitoral de um deputado chega a custar o dobro daquilo que ganha durante os quatro anos de mandato. Imaginem vocês o que custa uma campanha de presidente ou de governador. Uma fortuna. E isso não poderia mudar?

O COMUNISMO FUNCIONA ASSIM: O ESTADO É DONO DE TUDO. O POVO RECEBE AS MIGALHAS QUE CAEM DA MESA. O POVO PASSA MISÉRIA E OS DONOS DO PODER VIVEM LAUTAMENTE. BASTA CONHECER CUBA, COREIA DO NORTE, VENEZUELA. E HÁ QUEM GOSTE.






Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

17/05/2019   |
10/05/2019   |
04/05/2019   |
26/04/2019   |
12/04/2019   |
05/04/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS