Terça-feira, 20 de agosto de 2019
Ano XXXI - Edição 1571
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

11/08/2014 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - PALAVRAS E EXEMPLOS -  Temos um ditado latino, que traduzido, diz literalmente que "as palavras comovem e os exemplos arrastam". Talvez, o brocardo tenha servido em outros tempos. Em tempos recuados, quando ainda não existia o pisca-pisca. Naqueles tempos em que se atravessava os rios em pinguelas. Hoje, falam, falam, falam e as mensagens entram aqui e saem lá. Nem os discursos ardorosos pronunciados do alto das tribunas, comovem mais. Se lágrimas houver, são de crocodilo. E os exemplos? Ah! Os exemplos! Alguns maus exemplos estão pegando. Os bons, estes poucos imitam. Vejam bem: há cinco anos e meio o colunista faz o trajeto a pé, todos os dias, de casa até o local de trabalho. Mesmo em dias de chuva, de frio ou calor. Não importa. Foi um compromisso assumido comigo mesmo, principalmente para praticar atividade física, mas também para evitar poluir o meio ambiente e não ocupar espaço no estacionamento, cada vez mais escasso. Agora pergunto: alguém foi eventualmente arrastado por este exemplo?

PARA REATIVAR A ECONOMIA - Neste momento, a economia brasileira está devagar, estagnada, ou digamos, recessiva. Quais os motivos? Falta de dinheiro? Juros altos? Pelas contas do governo, é falta de dinheiro no meio circulante. Por isso, o Banco Central vai liberar R$ 45 bilhões, para mexer com consumidores e empresas. É uma forma artificial de animar o consumo.

SETOR PRIMÁRIO PARADO - Os produtos primários não estão sendo comercializados. O trigo da safra passada ainda está estocado, porque o Brasil importa trigo da Argentina e do Canadá. A soja e o milho - houve uma grande safra no Centro Oeste e na Bahia - não estão sendo comercializados, por que os preços estão muito baixos, em razão da boa safra de grãos nos Estados Unidos. Em função disso, a venda de máquinas e equipamentos agrícolas também está emperrada.

POR ISSO A DIVERSIFICAÇÃO - Quando o mercado de determinados produtos primários, ou até secundários, não está animado, destaca-se a importância da diversificação. Na região, quando o comércio de grãos paralisa, destaca-se a importância da bacia leiteira, da suinocultura e da avicultura. No setor industrial e comercial também dá para diversificar. Antenem-se os empreendedores e produtores. Por exemplo, as cidades calçadistas estão passando maus momentos,  porque falta diversificação.

COTAÇÃO DOS GRÃOS CAI -
Na Bolsa de Chicago a cotação dos grãos está em queda. A soja voltou a registrar  fortes baixas na Bolsa de Chicago. As cotações da oleaginosa caíram ao pior patamar em quatro meses, refletindo as previsões de clima favorável ao desenvolvimento das lavouras e também as condições da safra nos Estados Unidos.  O milho também tem preços mais baixos, já que o clima favorável e a boa condição das lavouras indica safra cheia nos USA.

MAIS UMA BELA CONQUISTA - Desta vez não é do Município  a conquista ou de quem quer que seja. O colunista se refere à conquista do filho Júlio César, que desta feita buscou o canudo de bacharel em Música pela Universidade Regional de Blumenau/Furb. Foi uma bela festa, no Teatro Carlos Gomes, literalmente lotado, onde mais de 100 acadêmicos colaram grau, de onze cursos. O colunista esteve lá para bater palmas e prestigiar mais uma conquista do seu herdeiro. Quem sabe, vai mais. Os pais se realizam também na conquista dos filhos.




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

16/08/2019   |
09/08/2019   |
02/08/2019   |
26/07/2019   |
19/07/2019   |
12/07/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS