Quarta-feira, 16 de outubro de 2019
Ano XXXI - Edição 1579
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

20/06/2014 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO  - POR QUE PROIBIR TUDO?  -   Desde os longínquos tempos idos da infância havia muita coisa proibida. Até havia várias coisas de comer que eram proibidas: não se podia misturar melancia com uva. Mas não era proibido criança trabalhar. Também não era proibido o pai ou a mãe dar uma palmada ou uma chicotada no garoto pilhado em flagrante fazendo travessuras. Praticamente todo cidadão tinha sua arma para a defesa pessoal  e segurança da família.  A onda de proibir tudo veio da Europa. Vamos lembrar 1968, quando na França houve uma mobilização popular de rua, com cartazes onde se lia:"É proibido proibir". Já não seria hora de fazermos mobilização semelhante nas ruas brasileiras? Aqui tudo é proibido: criança e adolescente não pode trabalhar, motorista não pode beber álcool, o cidadão não pode ter arma, não se pode ter um monte de preconceitos, a palmada está proibida. Daqui há pouco não se pode mais roubar de ladrão, apesar do ditado:"Quem rouba de ladrão tem 100 anos de perdão".  Daqui há pouco você não pode nem mais usufruir os seus direitos, como o de ser dono do seu imóvel. "Libertas quae sera tamem" é o que se lê na bandeira de Minas Gerais. Liberdade, embora tarde!

UFANISMO -  Não somos mais tão ufanistas como éramos, os brasileiros em tempos mais recuados. Hoje, somos mais realistas. Hoje, o nosso céu, as nossas matas são iguais ou piores do que  de outros recantos do mundo, talvez, porque o "bicho-homem" os deteriorou.  Não se lê mais "não há nenhum País como este".
    
PIBINHO DILMA  -  O Pibinho da presidente Dilma Rousseff  (2%),  só ganha dos PIBs negativos de Floriano Peixoto (- 7,5%)  e Fernando Collor de Mello (-1,3%) nos 125 anos de República. Neste ano, os economistas do mercado financeiro apostam num Pibinho de 1,4%.

CONTRASENSO  - Apesar da Lei Seca e do Estatuto do Desarmamento, cresceu assustadoramente o índice de homicídios no Brasil. Sempre se disse que pobreza e violência se casam. Mas houve melhoria na renda - ao menos é o que se proclama -  mas o número de óbitos violentos cresceu. Explique-se.  É um contrasenso maiúsculo proibir  tudo.

HÁ COISAS QUE BRADAM AOS CÉUS: PAGAR IPTU PARA OUTROS MORAREM DE GRAÇA.
Mas o que tem que acontecer vai acontecer.

QUEM MANDA RECADO MALCRIADO,  VIA REDE SOCIAL, É IRRESPONSÁVEL. PRECISA SER CHAMADO ÀS PUAS.

DESEMPREGO - Assusta o desemprego, que caminha lado a lado com a desaceleração econômica e a inflação em alta. Cresce para 62,6 milhões o número de trabalhadores fora do mercado e o desemprego entre as mulheres, no primeiro semestre de 2014, foi de 8,7%. O nível de ociosidade atinge 23% da capacidade instalada na indústria. Muitos deixam o mercado por opção.

CAI VENDA DE AUTOMÓVEIS - Sem incentivo governamental - IPI volta ao normal em julho - a previsão é de que a venda de veículos, em 2014, caia 3,6%.

DIA DO MEIO AMBIENTE - 05 de junho - TRANSITOU SEM DESTAQUE NESTE ANO.    
 



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

11/10/2019   |
04/10/2019   |
27/09/2019   |
19/09/2019   |
13/09/2019   |
06/09/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS