Terça-feira, 19 de novembro de 2019
Ano XXXI - Edição 1584
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

07/03/2014 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO  -  CAMBALACHO  -  Não sei sequer se o termo está dicionarizado. Tem todo jeito de ser gíria. Expressão popular, mas que tem um conteúdo muito forte. Como temos tantas outras. A linguagem popular tem esta capacidade de criar terminologias muito fortes e típicas. Vejam, por exemplo, cagaço. Não há dúvida, o país está minado de cambalacheiros. Por toda parte cresce esta erva daninha. Uma verdadeira tiririca. Tiririca que se alastra a cada dia que passa e vai inundando todos os canteiros. No curso da vida atual esta matéria é uma das que mais os vadios estudam. Estudam com dedicação e muitos com sucesso, porque dá resultados positivos e imediatos. Depois de formados, os pseudodiscípulos,  sem diploma, vão aplicando os conhecimentos nos incautos. Quem se descuidar por algum momento, vira vítima e babaus. Hoje, quem pousar de honesto e bom cidadão, tem cara de babaca. Precisa ter pinta de cambalacheiro, aplicador de golpe. Tudo porque falta dureza. Falta meter o veneno neles, para extingui-los. Só que a impunidade campeia forte e solta, oferecendo terreno fértil para os aplicadores de golpe.

DOIS BILHÕES PARA SEGURANÇA -  Há muito tempo, a violência vem grassando nas grandes cidades e em muitas cidades de médio e até pequeno porte deste país, sem que as autoridades competentes arregaçassem as mangas pra valer. Os desordeiros foram tomando coragem e, hoje, são donos do campinho e a polícia está desautorizada a agir com rigor. E a dona Justa, que é cega, protege os larápios e anarquistas de todas as cores, porque a nossa legislação é permissiva e fraca. Ali se vão, pois, quase dois bilhões para dar segurança durante a Copa do Mundo e não há dinheiro para educação, saúde e obras de infraestrutura.

DEPOIS DE PORTA ARROMBADA - Tranca de ferro, diz lá o velho ditado. Recentemente, foi gasto em uma noite no Ritz Hotel de Lisboa, o equivalente a 8 mil euros por dia, ou seja, R$ 26,2  mil reais, para uma suíte presidencial. Na recente ida a Roma, a presidente, para evitar novas críticas, se hospedou na embaixada brasileira com sua numerosa comitiva. O episódio de Portugal teve muitas explicações, quase todas esfarrapadas.

O GOVERNADOR DO ESTADO QUER NOVO INDEXADOR PARA A DÍVIDA DO RS. 
Certo.

BLACK BLOCS - Marginais movidos a dinheiro? Mas e donde vem este dinheiro? Quem os financia? São perigosos anarquistas de esquerda e não de direita - fascistas - como se aventava.

LEGISLAÇÃO SEVERA -  Muitos locais de grande acúmulo de pessoas, precisam investir pesado em equipamentos de prevenção contra incêndios, entre elas, a instalação de chuveiros automáticos, conforme preceitua a Lei Complementar n° 14.376, de 26 de dezembro de 2013. Muitas entidades também desrespeitam a legislação que estabelece o máximo de 85 decibéis admitido para o som.   Legislação severa ainda descumprida.

PERDOEM-ME OS MAUS PRATICANTES DA LÍNGUA PORTUGUESA. Por que tanto Inglês?




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

14/11/2019   |
08/11/2019   |
01/11/2019   |
25/10/2019   |
18/10/2019   |
11/10/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS