Terça-feira, 19 de novembro de 2019
Ano XXXI - Edição 1584
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para consumo

30/08/2019 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - DESLEIXO - Desleixo é deixar a peteca cair. Ou achar que o jogo está ganho e deixar faltar empenho. A vida nos cobra empenho diuturnamente. Deixar as coisas correr de qualquer jeito é desleixo. Quem não paga suas contas comete desleixo. Gastar mais do que se ganha, é grave e irresponsável desleixo. Não pagar os tributos obviamente é inadmissível desleixo, porque é obrigação de todo cidadão quitar seus impostos. Desrespeitar os transeuntes nas suas andanças na área urbana é igualmente um inadmissível desleixo. Cometer vandalismos não resta a menor dúvida, é maiúsculo desleixo, e poderiam ser evitados. Deixar de cumprir compromissos, como comparecer na escola durante período de aula, é inadmissível desleixo. Vale o mesmo para quem trabalha, atrasar no serviço ou não comparecer, igualmente é maiúsculo desleixo. 

O QUE ESTÁ FEITO - Desperdício de dinheiro é demolir obras que servem à comunidade há anos. É o que está acontecendo com a Praça Henrique Becker Filho, que foi modernizada no período administrativo anterior. No atual período administrativo, parte do que foi feito na reforma anterior, foi demolido, alegando que a comunidade concordou com a demolição. O espaço da superada quadra de esportes poderia ter sido usado para introduzir mudanças, porque ninguém mais usa a quadra de esportes, que em décadas passadas foi muito útil, porque foi muito usada. Há muita reclamação na cidade por causa das mudanças desnecessárias da praça na área central da cidade. Claro que os reclamantes são aqueles que não foram consultados. 

GANHAR, GANHAR E GANHAR. É O QUE TODOS QUEREM E PERDER NINGUÉM QUER. MAS EMPATAR MUITAS VEZES JÁ É BOM. ESTAMOS FALANDO DE DINHEIRO.
CIDADE LIMPA, POVO EDUCADO. EVITEM PICHAÇÕES E RESPEITEM AS PLACAS. 

A CRIMINALIDADE VIROU ROTINA - É lamentável esta constatação. Ao invés de exceção, o crime virou regra, porque crimes estão acontecendo todos os dias. Os meliantes não pensam duas vezes para botar fogo em ônibus, para atacar e roubar carros-fortes, para roubar cargas, ou atacar bancos e levar milhões em dinheiro. E o comércio de drogas então é uma enormidade. Estamos vivendo um clima de guerra. 

POLICULTURA - O Vale do Caí e a região serrana são exemplos de cultura diversificada. Predominam o cultivo de frutas e de verduras. Em face disso, existe prosperidade econômica na região. A policultura deveria ser usada em todas as regiões. Evidentemente, não se pode admitir que não seja valorizada a produção de leite na nossa região. É preciso incentivar a produção de suínos, de aves e por que não valorizar a produção de frutas e verduras? 

É PRECISO TER CALMA MUITA CALMA - Estão anunciando a maior safra da história no Rio Grande do Sul. Mas é preciso ter calma, porque os grãos estão começando a ser plantados agora. E tudo vai depender do clima, que, por enquanto, está muito irregular. 
QUEIMADAS - Quanta balela sobre as queimadas na Amazônia. Aliás, elas são normais nesta época em todo Centro-Oeste, porque depois de quatro meses de falta de chuva - maio a setembro - há muito material combustível, inclusive os gramados estão secos. E a cultura do povo é botar fogo em tudo que está seco. A mesma cultura existia na nossa região em décadas passadas, quando a palha do trigo era queimada e eram queimadas as roças novas que eram formadas durante o inverno. Mas esta cultura mudou, depois que a palha de trigo passou a ser utilizada como adubo e foi proibida a derrubada de mato. As queimadas não acontecem apenas na floresta amazônica, pois. Inclusive, na Capital Federal, nesta época, há queimadas. Há muita politicagem envolvendo o assunto.



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

14/11/2019   |
08/11/2019   |
01/11/2019   |
25/10/2019   |
18/10/2019   |
11/10/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS