Sexta-feira, 13 de dezembro de 2019
Ano XXXI - Edição 1586
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para consumo

21/06/2019 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - DE QUE COR É A INVEJA? - A esperança tem a cor verde como símbolo. O branco é a cor da pureza. E a inveja? Atribuíram à inveja a cor amarela. O preto é luto. O branco, pureza. O vermelho, paixão. O azul, romantismo. E por aí vai. Evidentemente atribuir cores às virtudes é coisa subjetiva, porque não tem muita lógica. Ficaria bem melhor, por exemplo, atribuir a cor roxa à inveja do que a amarela, porque o amarelo tem muito boa aceitação. Aliás, a inveja deveria ser banida da vivência humana. Motivos reais não existem, para que haja inveja. Mas, infelizmente, ela existe e por várias razões nada cabíveis. Inveja-se alguém porque tem maior poder aquisitivo. Inveja-se porque aquele lá é mais inteligente, porque aquela é mais bonita. Vamos convir, a inveja é algo abjeto, que deveria ser varrido. 

OS SERVIÇOS SÃO CAROS - Se alguém precisa de um conserto, prepare-se, porque os serviços cobrados aqui na praça estão pela hora da morte. Há os que cobram altos preços e não adianta choro. Temos experiências recentes. E vários amigos também experimentaram as fortes facadas. Uau!

AS DIFERENÇAS DE QUEM TEM MUITO E DE QUEM TEM POUCO - O atleta famigerado, Neymar Jr., só porque percebe 13 milhões mensais de salários do PSG, pode fazer fiascos a torto e a direito. É preciso ter um pouco mais de critérios, inclusive, atribuir penalidades para quem não se conduz adequadamente. Mas, infelizmente, todos os dirigentes da Seleção Brasileira batem palmas e muitos torcedores também, quando o cai-cai dá as caras. A diferença nas pessoas não está no ter muito ou pouco. Há um tratamento desigual. Se você tem pouco, não é visto nem lembrado. 

CUMPRIMENTOS - Merecem fortes e merecidos cumprimentos, com carregadas palmas os dirigentes da Cotrimaio, porque estão recuperando aquela instituição com muita competência e, máxime, porque estão valorizando os produtores de leite, que é um dos pilares da nossa economia primária. Infelizmente, os dirigentes municipais de nossa comuna esqueceram o leite como um dos fatores econômicos de Três de Maio. E nada, até o momento, foi tentado como substituto do leite riscado da nossa economia primária. 

PIXOTADA E ACERTO - Nos tempos bem recentes a Câmara Municipal de Vereadores em dois lances diferentes cometeu uma pixotada e um acerto. A pixotada foi a aprovação por UNANIMIDADE de um projeto de lei, autorizando um empréstimos de 10 milhões para obras, algumas desnecessárias. O acerto foi a aprovação da matéria que trata da eliminação do uso de fogos de artifício barulhentos. Parabéns merecidos. Mas cabe mais. 

ALGUMAS ELOCUBRAÇÕES - O que impressiona é a diferença que existe entre os cidadãos. Existem produtores que têm megapropriedades rurais, bem infraestruturadas de cinco, dez, quinze mil hectares. Mas também existem certos retratos das grandes cidades, onde milhares de pessoas moram amontoados em biombos alcandorados nos morrinhos em verdadeiros ranchos. Em cima disso, a gente começa a meditar. Isso é justo? Isso deveria ser assim? Será que lá atrás, quando o Criador criou o ser humano, imaginava essa diferença entre os seres humanos? 

A NOSSA VIDA UM TROCA-TROCA - A nossa vida é um verdadeiro troca-troca. Aquilo que auferimos, através de nosso trabalho ou através de nossas atividades, é devolvido de uma forma ou outra à comunidade. Por isso, a nossa vida é um troca-troca permanente.
 
A GENTE PLANTA HOJE, PARA COLHER AMANHÃ. SE PLANTAR BOA SEMENTE, VOCÊ COLHE BONS FRUTOS. ISSO VALE NÃO SÓ NA AGRICULTURA, MAS VALE TAMBÉM PARA A CULTURA. QUEM PLANTA TIRIRICA, COLHE TIRIRICA. Percebeu? 



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

29/11/2019   |
22/11/2019   |
14/11/2019   |
08/11/2019   |
01/11/2019   |
25/10/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS