Sábado, 17 de novembro de 2018
Ano XXX - Edição 1533
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para consumo

14/09/2018 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
 GUISA DE COMENTÁRIO - VIOLÊNCIA E MAIS VIOLÊNCIA - Já lá atrás, bem antigamente, se dizia com todas as letras VIVER E DEIXAR VIVER. Mas cada vez menos se respeita este princípio. Mata-se cada vez mais, seja por interesse, por ódio, ou por conveniência. As mortes nas estradas são por descuido ou por irresponsabilidade. Mas o que não se pode admitir é matar por ódio. Matar a mãe, o pai, a irmã, o irmão, o filho, a namorada, a esposa por puro ódio. E como tem disso. Por trás disso,  de tantas mortes, existe a falta de princípios morais, que as pessoas não auferiram na infância ou na adolescência. A desestruturação  familiar e social é a principal causa de tanta mortandade ao redor do mundo. Talvez, por isso  a vida para muitos perdeu o valor e o respeito para muitos, base de tudo que podemos construir  como ser humano.     
O QUE VOCÊ FEZ DE ERRADO LÁ ATRÁS, PAGA LÁ NA FRENTE. Pelo sim, pelo não é uma advertência. 

SE XINGAR RESOLVESSE, SE CRITICAR RESOLVESSE, ESTE COLUNISTA SE ESPECIALIZARIA EM FAZER SÓ ISSO. Mas com esta nossa cultura estraçalhada que temos por aí, pouco ou nada resolvem atitudes com fundo educativo.

NÃO É SÓ AQUI - Em Porto Alegre, há anos persiste a briga em torno da Av. Castelo Branco, um dos principais acessos à Capital, porque a esquerda quer e exige que aquela via seja chamada de Av. da Democracia e da Legalidade. Até na Câmara da Capital foi aprovada lei, rebatizando aquela avenida, que, agora, poderá voltar à denominação antiga. Aqui temos a questão da antonomásia Cidade Jardim, que vai e volta. Estas pequenezas é que não levam a nada. São quizílias políticas de baixíssimo porte e nenhum resultado prático. Até quando? 

BOM MOMENTO DO TRIGO  - Com a mudança do clima, menos chuvas e menos frio, a cultura do trigo agradece, porque na maioria das regiões, o cereal está em fase de floração e espigamento. Está prevista, por enquanto, uma boa safra, estimada em 17% superior à safra passada. 

POPULAÇÃO CAI - A olho nu parece que não. Mas falou a estimativa do IBGE está falado. Três de Maio tem uma população inferior em mais de 500 habitantes.  Entre 2010 e 2016, a população no Município havia crescido. Aliás, em toda região, apenas em Santa Rosa e Horizontina não houve queda da população, segundo dados do IBGE. É preciso auferir a causa da diminuição da população regional. Seria a falta de empregos e a evasão? Aliás, a evasão é antiga em  Três de Maio. E a causa sempre foi a falta de oportunidades aqui e na região.  Vamos esperar um novo censo do IBGE, para conhecer a realidade populacional de nossa região. 

QUEDA DA PRODUÇÃO DO LEITE -  O Rio Grande do Sul é o segundo maior produtor de leite do Brasil, só perdendo para Minas Gerais. Entendeu-se que Três de Maio, com o advento de uma das maiores e mais modernas indústrias do leite, poderia ser uma expressão na produção do setor lácteo. Mas não. Através de um Censo Agropecuário  recente constatou-se  que houve uma redução de 34% na produção leiteira. Como nos casos de doença, é preciso buscar a razão dessa surpresa, dessa abrupta queda. Talvez, tenha faltado apoio. 

LAMENTÁVEL - "O QUE AS PESSOAS QUEREM É O ÓDIO, O ÓDIO, NADA MAIS DO QUE O ÓDIO. EM NOME DO AMOR E DA JUSTIÇA, ODEIAM". Do escritor inglês David Herbert Lawrence. A facada do mineiro no candidato do PSL foi puro ódio, mas disse que agiu por "AMOR A DEUS". 



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

01/11/2018   |
26/10/2018   |
19/10/2018   |
11/10/2018   |
05/10/2018   |
28/09/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS